sábado, 30 de junho de 2007

Vida em Cristo

Mensagem


Objetivo
Mostrar a luz da Bíblia que a prosperidade que vem de Deus pede primeiro crescimento na vida cristã, e que ela é o resultado de uma vida de dedicação ao Senhor.

Introdução:
Temos ouvido falar nestes dias muito sobre prosperidade e crescimento. Hoje tentaremos cercados da palavra de Deus. Refletir um pouco sobre este tema.
Começaremos falando sobre nascimento, crescimento, maturidade e finalmente prosperidade a luz da palavra de Deus.
Pensamos organizar esta mensagem em dez pontos, para facilitar o nosso entendimento.
O nascimento que o Senhor Deus espera de nós é cremos no Senhor Jesus como o nosso salvador amado.

João. CAPÍTULO 3
1 E HAVIA entre os fariseus um homem, chamado Nicodemos, príncipe dos judeus.
2 Este foi ter de noite com Jesus, e disse-lhe: Rabi, bem sabemos que és Mestre, vindo de Deus; porque ninguém pode fazer estes sinais que tu fazes, se Deus não for com ele.
3 Jesus respondeu, e disse-lhe: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus.
4 Disse-lhe Nicodemos: Como pode um homem nascer, sendo velho? Pode, porventura, tornar a entrar no ventre de sua mãe, e nascer?
5 Jesus respondeu: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer da água e do Espírito, não pode entrar no reino de Deus.
6 O que é nascido da carne é carne, e o que é nascido do Espírito é espírito.

7 Não te maravilhes de te ter dito: Necessário vos é nascer de novo.

Crescimento Físico e Espiritual.
1.1. O menino Samuel. I Sm. 2:26. E o jovem Samuel ia crescendo, e fazia-se agradável, assim para com o SENHOR, como também para com os homens.

1.2. João Batista. Lc. 1:80. E o menino crescia, e se robustecia em espírito. E esteve nos desertos até ao dia em que havia de mostrar-se a Israel.

1.3. Jesus. Lc. 2: 40. E o menino crescia, e se fortalecia em espírito, cheio de sabedoria; e a graça de Deus estava sobre ele.

1.4. Paulo. At. 9:22. Saulo, porém, se esforçava muito mais, e confundia os judeus que habitavam em Damasco, provando que aquele era o Cristo.


Igreja. II Ts. 1:3. Sempre devemos, irmãos, dar graças a Deus por vós, como é justo, porque a vossa fé cresce muitíssimo e o amor de cada um de vós aumenta de uns para com os outros,

Maturidade. Deixar as coisas de menino. I Co. 13:11. Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, discorria como menino, mas, logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino

4. Buscar entendimento. I Co. 14:20. Irmãos, não sejais meninos no
entendimento, mas sede meninos na malícia, e adultos no entendimento.

5. Estatura de Cristo. Ef. 4:13. Até que todos cheguemos à unidade da fé, e ao conhecimento do Filho de Deus, a homem perfeito, à medida da estatura completa de Cristo,

6. Comida de Adulto. Hb. 5:14. Mas o mantimento sólido é para os perfeitos, os quais, em razão do costume, têm os sentidos exercitados para discernir tanto o bem como o mal.

7. Família abençoada. I João 2:14. Eu vos escrevi, pais, porque já conhecestes aquele que é desde o princípio. Eu vos escrevi, jovens, porque sois fortes, e a palavra de Deus está em vós, e já vencestes o maligno.

Imaturo Espiritual.
8.1. Precisa Aprender. I Co. 3:1,2. 1.E EU, irmãos, não vos pude falar como a espirituais, mas como a carnais, como a meninos em Cristo. 2 Com leite vos criei, e não com carne, porque ainda não podíeis, nem tampouco ainda agora podeis,

8.2. Não tem firmeza. Ef. 4:14. Para que não sejamos mais meninos inconstantes, levados em roda por todo o vento de doutrina, pelo engano dos homens que com astúcia enganam fraudulosamente.

8.3. Sem o Verdadeiro Crescimento. Hb. 5:12. Porque, devendo já ser mestres pelo tempo, ainda necessitais de que se vos torne a ensinar quais sejam os primeiros rudimentos das palavras de Deus; e vos haveis feito tais que necessitais de leite, e não de sólido mantimento.

8.4. Não pode ser doutrinado. I Co. 3:1,2. Com leite vos criei, e não com carne, porque ainda não podíeis, nem tampouco ainda agora podeis,3 Porque ainda sois carnais; pois, havendo entre vós inveja, contendas e dissensões, não sois porventura carnais, e não andais segundo os homens?

9. O Progresso do Crente. I Tm. 4:15. Medita estas coisas; ocupa-te nelas, para que o teu aproveitamento seja manifesto a todos.

9.2. Ajuda na Caminhada. II Sm. Alargaste os meus passos debaixo de mim, e não vacilaram os meus artelhos.

9.3. Sabedoria. I Rs. 4:10. E deu Deus a Salomão sabedoria, e muitíssimo entendimento, e largueza de coração, como a areia que está na praia do mar.

9.4. Presença do Senhor. I Cr. 4:10. Porque Jabez invocou o Deus de Israel, dizendo: Se me abençoares muitíssimo, e meus termos ampliares, e a tua mão for comigo, e fizeres que do mal não seja afligido! E Deus lhe concedeu o que lhe tinha pedido.

9.5. Progresso em Deus. Is. 54:2. E farei os teus vitrais de rubis, e as tuas portas de carbúnculos, e todos os teus termos de pedras aprazíveis.

O Resultado da Fé. Ef. 3:17,18,19. 17. Para que Cristo habite pela fé nos vossos corações; a fim de, estando arraigados e fundados em amor,18 Poderdes perfeitamente compreender, com todos os santos, qual seja a largura, e o comprimento, e a altura, e a profundidade,19 E conhecer o amor de Cristo, que excede todo o entendimento, para que sejais cheios de toda a plenitude de Deus.

Você que esta lendo esta matéria já teve um encontro verdadeiro com Deus?
Se a resposta é sim, Gloria a Deus.
Se a resposta é não, hoje é o dia de você ter esse encontro, procure a Igreja bíblica comprometida com a palavra mais proxima de sua casa e sele este compromisso com Deus.

Que Deus, te abençoe.
Graça e Paz.

Pr. Moabi Brito

quinta-feira, 28 de junho de 2007

Mensagem a Familia

Conviver em família:

A família é projeto de Deus, para nos ensinar a conviver com o outro. O homem é um ser social e como tal deve aprender a viver em sociedade. Estes é um dos maiores desafios que todos nós devemos enfrentar.
A igreja é uma grande família cheia de pessoa com os mais diversos traumas ou problemas de relacionamentos, tais como: inveja, ciúmes, preconceito, arrogância, orgulho, etc..

Na Bíblia temos muitos relatos sobre família, mas, hoje gostaria de enfocar a história de José e seus irmãos para falarmos sobre as atitudes da família como projeto de Deus.

Ciúme:
Sentimento as vezes provocado por situações.
1. E aconteceu que, como Raquel deu à luz a José, disse Jacó a Labão: Deixa-me ir, que me vá ao meu lugar, e à minha terra. (Gênesis 30 : 25)

O Senhor Deus quer que convivamos bem, apesar das nossas diferenças, o que sem duvida é um grande desafio.

2. E chegou também Lia com seus filhos, e inclinaram-se; e depois chegou José e Raquel e inclinaram-se. (Gênesis 33 : 7)

Preferencias: devemos evitar as preferencias porque elas iram gerar problemas existenciais.
3. E Israel amava a José mais do que a todos os seus filhos, porque era filho da sua velhice; e fez-lhe uma túnica de várias cores. (Gênesis 37 : 3)

4. Teve José um sonho, que contou a seus irmãos; por isso o odiaram ainda mais. (Gênesis 37 : 5)

Objeto do desejo: A túnica não sé representava beleza, amor, mas também autoridade porque aquele tipo de túnica, tinha normalmente as mangas largas impedindo o trabalho braçal, em outras palavras Jaco, já via José como líder de seus irmãs.
5. E aconteceu que, chegando José a seus irmãos, tiraram de José a sua túnica, a túnica de várias cores, que trazia. (Gênesis 37 : 23)

Desejo de pecado: as mulheres egípcias, podiam escolher seus companheiros inclusive pedir divorcio sem não os quisesse mais. Mas José preferiu usar as leis de Deus que ele com certeza já tinha aprendido com seus pais.
6. E aconteceu depois destas coisas que a mulher do seu senhor pôs os seus olhos em José, e disse: Deita-te comigo. (Gênesis 39 : 7)

Rancor: Não guardar sentimentos ruins. José demonstrou mais uma vez que realmente era um líder. Um líder não persegue seus liderados, um líder não tem inveja de seus liderados, um líder tem amor pelos seus liderados e por eles é capaz de dar a sua vida foi isto que ensinou Jesus.
7. E disse José a seus irmãos: Eu sou José; vive ainda meu pai? E seus irmãos não lhe puderam responder, porque estavam pasmados diante da sua face. (Gênesis 45 : 3)

O cotidiano de uma família é algo de tremendo. O número de situações que passamos juntos como família nos dá um a quantidade de informações que nos será de mu9ita valia para o nossos futuro.

Mas devemos estar prontos a observar, a escutar, a dar ouvidos.
No seio da nossa família encontramos muitos dos sentimento bons e ruins que vamos enfrentar durante a nossa jornada de vida.

Sentimentos:
1. Amor. O amor de irmão, o amor dos nossos pais, o maior da família maior, digo avós, primos tios, etc.
2. Ciúme: é do ser humanos ter ciúme, este sentimento pode ser gerado por uma falha na nossa infância, que nos produziu incerteza.
3. Ódio: existem situações que nos provocam ódio, no nosso viver diário da nossa família.
4. Inveja: é também um sentimento que é produto de outro a falta de. Sempre que temos falta de alguma coisa e vemos que outra pessoa tem o que nós queremos sentimos inveja.
5. Preconceito: é o ato de julgar ou rotular alguém que nos é diferente.
6. Discriminação: discriminamos ou rejeitamos tudo o que nãos nos agrada.

Mas fica a pergunta qual é a nossa capacitação para geramos algum conceito? Partimos de qual premissa?

A nossa sociedade esta doente e consequentemente gera famílias doentes. A igreja como local de cura deve estar alerta para: receber, amar, ensinar e não odiar quem quer que seja.

Se esta mensagem tocou, ou falou ao seu coração, em relação ao seu convívio familiar.

Ore agora, “Senhor a ti entrego a minha família, pois reconheço que a família é projeto seu, por isso estamos aqui neste lugar como povo seu família tua, em nome de Jesus, vem nos capacitar, amém”.

Continue orando para que Deus possa nos usar pela sua infinita misericórdia e estas mensagens venham a transformar vidas em nome de Jesus.

Graça e Paz
Pr. Moabi

A Doutrina dos Apostolos

Pr. Moabi Lins de Brito
Congresso Brasileiro de Reflexão Teológica.
Rio de 15 a 18 de Outubro de 2003
A igreja do Senhor Jesus nasceu em um momento único na historia da humanidade (Mt 16:18). Deus inicia o processo de conscientização na humanidade da necessidade de adorá-lo. Assim podemos resumir o propósito de Deus, como sendo a espinha dorsal da igreja do Senhor.
1. Pregar a salvação.
2. Prover meios para a adoração.
3. Promover a comunhão religiosa.
4. Sustentar uma norma de condutas moral.
A igreja evangélica como um todo hoje passa por muitas transformações, e consequentemente muitas questões estão sendo colocadas para serem equacionadas pela liderança atual.
A igreja tem um duplo propósito; deve ser um sacerdócio santo (I Pe. 2.5) e deve "proclamar as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz" ( I Pe. 2,9). A igreja inteira deve exercer as tarefas do sacerdócio em relação a mundo. Como sacerdócio, a igreja tem confiada a si a responsabilidade de levar a Palavra de Deus à humanidade e de interceder junto a Deus em favor dos homens.
Além da função sacerdotal, a igreja também tem uma função missionária de declarar os atos maravilhosos de Deus. A tarefa missionária da igreja não é opcional, porque, pela sua própria natureza, a igreja é missão. Além disso, a missão está no mundo e é para o mundo, e não em si mesma e para si.
R. L. Omanson
Hoje aos nos reunirmos, para tentar entender o que esta de fato acontecendo ao nosso redor, a nossa primeira palavra é de oração pedindo a Deus, que venha sobre nós com misericórdia, nos ajude e nos de graça, em nome de Jesus.
Colocamos alguns tópicos a fim de nos ajudar:
1. A igreja segundo o novo testamento, uma visão panorâmica.
2. Os costumes da época e a igreja.
3. A sociedade da época e a igreja.
4. A preocupação com o social na igreja.
5. A palavra pregada na igreja.
6. A organização da igreja
7. As metas da igreja.
8. A liturgia da igreja.
9. A igreja atual e a igreja dos apóstolos.

1. A igreja segundo o novo testamento, uma visão panorâmica.
No relato de Lucas no livro de Atos nos encontramos algumas informações que podem ser usados como balizadores para o desenvolvimento de nosso pensamento.
A palavra igreja significa assembléia local de pessoas. A primeira igreja cristã surgiu em Jerusalém depois da ascensão de Jesus. Esta assembléia era formada por galileus e por judeus prosélitos, e os discípulos de Jesus. Para o judaísmo da época era mais uma seita. Na igreja em Jerusalém o costume judaico ainda imperava que incluía a adoração no templo. Esta igreja se diferenciava do judaísmo em alguns pontos:
1. Reconheciam Jesus como o messias prometido.
2. Seu batismo era em nome de Jesus.
3. A presença e participação nas reuniões presididas pelos apóstolos
4. A comunhão nos lares.
5. Os primeiros lideres da igreja foram os 12 apóstolos.
6. Na seqüência quando Tiago (irmão de Jesus), assumiu a liderança ele usou padrão judaico de liderança..

2. Os costumes da época e a igreja.
O Cristianismo do Novo Testamento não é uma religião ritualistica; a essência do Cristianismo é o contato direto do homem com Deus por meio do Espirito Santo. Portanto não há uma ordem de adoração dogmática e inflexível, antes permitindo a igreja, em todos os tempos e países a liberdades de adorar, no método que seja, mas adequado, para a expressão de sua vida, resguardando a reverencia e a mudança de vista no ponto de vista da fé cristã..
Havia entre os judeus alguns hábitos ou tradição social que Jesus enumera com detalhes em Lucas 7:44, 45, 46, o lava - pés, que também é lembrado por João na descrição da última ceia, o ósculo, e a unção com óleo, na carta de Paulo aos Corintios encontramos detalhes sobre a Ceia do Senhor ( I Cor. 11:23) e a ceia Ágape um costume da época e da região. Ainda na carta aos Corintios, I Cor. 11:6; 15, Paulo fala sobre o costume uso do véu durante os cultos pelas mulheres.
Mas duas cerimonias são vistas como essenciais, para serem divinamente ordenadas, a ceia e o batismo.
O batismo nas águas é o rito do ingresso na igreja cristã, e simboliza o começo da vida espiritual. A ceia é o rito de comunhão e significa continuação da vida espiritual. O batismo sugere fé, em Cristo; a ceia sugere a comunhão com cristo.

3. A sociedade da época e a igreja.
Na sociedade da época algumas pessoas eram descriminadas: os doentes, os pobres, os órfãos e as mulheres. Jesus não aceitou esta diferença, por diversas vezes Ele demostrou que somos iguais. O apostolo Paulo faz menção a participação ativas das mulheres em seu ministério. Quando os apóstolos nomeiam os Presbíteros, diáconos e diaconisas a preocupação não é outra senão de atender as necessidades básicas daquele povo.

5. A preocupação com o social na igreja.
Os apóstolos sabiam trabalhar com os dons e s talentos dados pelo Espírito. Às vezes se chamam pastores. Espírito Santo é sempre lembrado como coordenador (Ef. 4:11, Atos 20: 28).
Durante o primeiro século cada comunidade cristã era governada por um grupo de anciãos, no terceiro século coloca-se um homem à frente de cada comunidade com titulo de pastor ou bispo.
Associados com os presbíteros havia um número de obreiros ajudantes chamados diáconos (Atos 6:1-4; I. Tm. 3: 8-13; Fil. 1:1) e diaconisas (Rm. 16:1; Fil. 4:3) , cujo o trabalho parece, geralmente, Ter sido o de visitar de casa em casa e exercer um ministério entre os pobres necessitados e viúvas (Tm. 5:8-11). Os diáconos também ajudavam os anciões na celebração da ceia.

5. A palavra pregada na igreja.
A pregação da palavra era uma tarefa exercida pelos apóstolos, que se baseavam em textos do AT, e das suas próprias experiências no convívio com o mestre. O conhecimento das verdades bíblicas começava nos cultos nas casas que eram realizados pelos apóstolos, presbíteros, diáconos e diaconisas.

6. A organização da igreja
O N.V. não fornece muitos detalhes da sua organização. Nos podemos deduzir 5 pontos que servem como princípios gerais.
a- Toda autoridade é derivada de Jesus Cristo, exercida em seu nome e no poder do Espírito Santo de Deus.
b- A humildade de Cristo fornece o padrão para o serviço cristão.
c- O governo é compartilhado em vez de autocrático.
d- As funções de ensino e governo estão intimamente associadas.
e- Assistentes administrativos podem ser requisitados para ajudar.
Os apóstolos exerciam autoridade geral sobre as igrejas, supervisionando novas igrejas, como em Samaria (At. 8:14). Quando a pressão do trabalho eclesiástico cresceu, foram designados assistentes para cuidar das obras de caridade da igreja (At. 6.1ss) é criada a função de Presbítero para irem para Jerusalém. O padrão geral da igreja local parece ter sido uma junta de anciões ou pastores, possivelmente com a presença de profetas e mestres, com os diáconos para ajudar, enquanto os apóstolos e os evangelistas faziam supervisão geral d toda a igreja.

7. As metas da igreja.
A obra mas importante é pregar o evangelho a toda a criatura (Mat. 28:19,20) e explanar o plano de salvação tal qual é ensinado nas escrituras. Cristo tornou acessível a salvação para a todos através da sua crucificação e ressurreição.
A igreja tinha uma preocupação definida com a necessidade de expansão do evangelho e de contribuir para manter os missionários e os dirigentes locais. Nos temos esta confirmação quando da separação de Paulo E Barnabé para serem os primeiros missionários comunicados da igreja, o que também gerou dificuldades quando ao sustento, pois não era consenso esta pratica em todas as igrejas o gerou de Paulo uma admoestação quando escreve a Corinto.

8. A liturgia da igreja.
Das epistolas de Paulo concluímos que havia duas classes de reuniões para adoração: uma consistia em oração, louvor, e pregação; a outra era um culto de adoração, conhecido como a "Festa do amor" (ágape). O primeiro culto era publico; o segundo era um culto particular ao qual eram admitidos somente os cristãos.
O culto publico segundo o historiador Robert Hasting Niccholis, era "realizado pelo povo conforme o Espirito movesse as pessoas. Citando os escritos deste historiador: Oravam a Deus e davam testemunhos e instruções espirituais. Cantavam os Salmos e também os hinos cristãos, os quais começaram a ser escritos no primeiro século. Eram lidas e explicadas as Escrituras do Antigo Testamento, e havia leitura ou recitação decorada dos relatos das palavras e dos atos de Jesus. Quando os apóstolos enviavam cartas as igrejas, a exemplos das epistolas do novo Testamento, essas eram lidas.
Este singelo culto poderia ser interrompido a qualquer momento pela manifestação do espírito santo, inspirados sobre as escrituras.
Pela leitura de I Cor. 14:24,25, sabemos que essa adoração inspirada pelo Espírito era um meio poderoso de atrair e evangelizar os não convertidos. No final do capitulo o apostolo Paulo lembra da necessidade de ordem no culto. (v.40)
Algumas correntes teológicas consideram este momento único e somente para a igreja do primeiro século.
9. A igreja atual e a igreja dos apóstolos.
Há que se perguntar quais são as principais diferenças entre a igreja do primeiro século e a chamada igreja pós-moderna. Apresentamos alguns pontos a fim de facilitar o nosso raciocínio.
Recordando o passado recente da historia da igreja
Resumo da árvore genealógica dos primeiros grupos protestantes denominacionais já se organizando como igreja na Europa após a Reforma Protestante.
Data Igreja
1517 Luteranos
1525 Anabatistas
1534 Anglicanos e Reformados
1560 Presbiterianos
1612 Batistas
1787 Metodistas

Resumo da arvore genealógica das igrejas pentecostais na América do Norte, oriundas do Metodismo.
1914 - Assembléia de Deus, Concilio Geral.
1918 - Igreja Internacional do Evangelho Quadrangular.
1924 - Igreja Pentecostal Unida.
1931 - Igreja Cristã Congregacional.

Resumo Igreja Menonita nos Estados Unidos
1683 Igreja Menonita

Resumo do movimento da década de 60 no Brasil
1960 Igreja o Brasil para Cristo.
1961 Igreja Deus é Amor
1962 Igreja Primitiva
1963 Obra de Restauração

Durante toda a historia da igreja aconteceram muitos movimentos de avivamentos, para que o evangelho se expandisse sobre a face da terra, muitas igrejas foram fundadas, mas não conseguiram se expandir. Estes primeiros movimentos aconteceram na Europa em primeiro lugar depois nos Estados Unidos da América, atualmente na América do Sul e no Brasil, que esta passando por um movimento de expansão de denominações e igrejas. Há que se perguntar quantos conseguirão se manter após no mínimo, 5 décadas, ou meio século de existência. Ou quando acontecer a morte de seu líder ou fundador, se a linha teológica e a filosofia doutrinária, for do agrado de outros esta igreja persiste se não, esta fadada ao fracasso. Partindo desta hipótese muitos chamam este fenômeno de "Aventura Eclesiástica"
Existem inúmeros fatores que provocam este fenômeno, é um fato preocupante, mas se olharmos com uma perspectiva de crescimento veremos que enquanto na Europa e Estados Unidos esta acontecendo um esvaziamento dos templos evangélicos no Brasil as nossas igrejas estão cheias de pessoas que precisam de todo tipo de apoio. O que exige de nós liderança cada vez mais, empenho e dedicação na procura de excelência no conhecimento, e no trato com o sagrado, e o povo de Deus.
Opinião:
Quando olhamos para o livro de Apocalipse temos um painel de como estão as nossas igrejas na visão de Deus, ao vermos as cartas as sete igrejas da Ásia. Em uma analise rápida percebemos que as igrejas da época foram se moldando em relação a comunidade em que estavam instaladas, se adequando aos usos e costumes da região e as vezes se afastando do propósito de Deus. Talvez hoje esteja acontecendo a mesma coisa em muitas igrejas que estão mais preocupadas em se adequar a sociedade em sua volta, do que seguir as doutrinas apostólicas. Isto nos faz lembrar da oração d Neemias 1:5 a 11. Será que este texto foi escrito só para aquela época, ou ele como toda Bíblia é sempre atual? Toda vez que a igreja do Senhor Jesus se afasta de seus princípios primeiros, Deus nos corrige e nos dispersamos? Se nós somos o corpo de Cristo, então porque não meditar em I Cor. 11:28. Este exame deve ser primeiro pessoal e depois coletivo, já que nós "somos fruto do meio" eclesiástico em que vivemos.
Apresentamos alguns pontos a fim de facilitar o nosso raciocínio sobre o fenômeno eclesiástico de nossos dias.

Movimentos eclesiásticos.
1. Inicio na década de 60
· Renovação espiritual
· Doutrina da confissão (benção e maldição)
· Treinamento especial para a "guerra espiritual"
· Evangelho da prosperidade
· Movimento de crescimento de igreja 70
2. Anos 90
· Comunidades
· Movimento G-12
· Movimento de crescimento de igrejas.
·
Novos modelos de igreja
1- Igreja com propósitos. Foco principal: Discipulado Básico.
2- Igreja em células. Foco principal. Multiplicação de células.
3- Rede ministerial. Foco principal: Evangelismo Pessoal.
4- Desenvolvimento Natural da Igreja. Foco principal: Processos funcionais, dons e ministérios.
Questionamentos.
1- A igreja atual continua preocupada com os pobres do seu meio e os pobres em sua volta?
2- A mensagem da igreja atual é voltada para o evangelismo como prioridade?
3- A igreja moderna propaga a necessidade de mudança de vida, aqui na terra a fim de testemunhar uma mudança para a vida interna ?
4- A igreja moderna deixa o Espírito Santo de Deus ser o primeiro a dar todas as orientações necessárias para que a igreja possa crescer de acordo com a vontade de Deus?
5- A igreja dos primeiros séculos estava preocupada com a necessidade de o evangelho alcancar a todos os povos (missões), e a igreja moderna tem a mesma preocupação ou meta?
6- O fato da igreja dos primeiros séculos estarem preocupadas com as famílias e as visitas aos lares era uma necessidade pontual ou a manutenção da obra evangelizadora de Jesus Cristo que saia de cidade em cidade, e ia também as casas?
7- Estes movimentos pós-modernos, visam o crescimento qualitativo ou quantitativo, ou seja há uma preocupação com o ensino da palavra, o aconselhamento cristão, o crescimento espiritual, ou não ?

Bibliografia
Historia da Igreja em Quadros - Robert C. Walton - 2000 - Ed. Vida.
Conhecendo as doutrinas da Bíblia - Myer Pearlman - 1994 - Ed. Vida.
Pequena Enciclopédia Bíblica - Orlando Boyer - 1966 - Instituto Bíblico das Assembléias de Deus.
Enciclopédia Histórico Teológica da Igreja Cristã - Walter A, Elwell - 3 Vol.- 1960 - Ed. Vida Nova.
Apostila Modelos Eclesiásticos - Prof. Elza Sant'Anna do Valle Andrade - CIEM - 2003
Apostila Auto Confrontação Bíblica - Dr. Antonio Jose - FLAM
Rede Ministerial - Bruce Bugbee = Don Cousins - Bill Hybels. 2001 - Ed. Vida.
Teologia Cristã em Quadros - H. Wayne House - 2000 - Ed. Vida.
Dicionário Bíblico Vida Nova - Derek Williams - 2003 - Ed. Vida Nova.
O Novo Comentário da Bíblia -Ed. Vida - Rev. Dr. Russel P. Sheld, MA, BD, PhD
Doutrinas Centrais da Fé Cristã – Ed. Vida Nova - J.N.D. Kelly
Bíblia Pentecostal -
Bíblia de Jerusalém - Edições Paulinas
Bíblia em Softher - Ismael A Vieira (auto ajuda através da Bíblia)
Bíblia a Rocha (NVI) - Ed. e Distribuidora Candeia
Enciclopédia Mirador.

Nova TV ADORAÇÃO

CONGRESSO DA JUVENTUDE

CONGRESSO DA JUVENTUDE

Saudação

Sejam bem vindos ao nosso ponto de encontro.

Nestes dias temos lido e ouvido muitas versões ou entendimentos das verdades biblicas, mas há que se dizer que sempre houve e haverá opiniões diferentes devido a vários fatores que permeiam a nossa vida cotidiana.

A nossa intenção aqui, é apenas expressar o nosso endendimento pensando estar de alguma forma contribuindo na construção do pensamento teológico cristão brasileiro atual.


Nosso e-mail: igrejaprimitivamaceio@yahoo.com.br

Seminário Teológico El Elyon

As inscrições para o STEE já estão abertas.
Faça logo a sua matricula!!
Onde se inscrever:
R. Demetrio de Freitas, 98 - Maceó - IPS - Cep: 24.310-100
Por e-mail:
moabibrito@yahoo.com.br
prmoabilins@hotmail.com





Como os outros te vêem

Resultado: 39 pontos

Os outros te vêem como alguém sensível, cauteloso, prático e cuidadoso. Te vêem como inteligente, talentoso, mas modesto. Não uma pessoa que faz amigos muito rápido e fácil, mas alguém extremamente leal aos amigos que você faz e que espera a mesma lealdade deles. Aqueles que realmente te conhecem percebem que é difícil abalar sua confiança em amigos, mas também leva um bom tempo para recuperá-la se esta confiança se acaba.

Teste de Personalidade

Oferecimento: InterNey.Net

Livros Recomendados

Como Deus Cura a Dor. Mark W. Backer - Ed. Sextante. 2008.
Respostas Evangélicas à Religiosidade Brasileira. Ed. Vida Nova. 2004.
Sabedoria Pastoral. David W. Wong. Ed. Descoberta. 1999
Guia Básico para a Interpretação da Bíblia. Robert H. Stein - Casa Publicadora das Assembleias de Deus. 1935
A Igreja no Império Romano. Martin N. Dreher. Ed. Sinodal. São Leopoldo, RS. 1993.
Vozes do Cristianismo Primitivo. E.Glenn Hinson & Paulo Siepierski. Ed. Temática Publicações, SP.
Sem Medo de Viver. Max Lucado. Ed. Thomas Nelson Brasil. RJ.2009.
A Palavra de Deus e A palavra do homem. Karl Barth. Ed. Novo Século. São Paulo. 2004.
A(s) Ciência(S) da Religião no Brasil. Faustino Teixeira. Ed. Paulinas. São Paulo. 2001.
Plano Mestre de Evangelismo. Robert Coleman. Ed. Mundo Cristão. São Paulo. 2006.
Direito & Psicanálise. Chaia Ramos. Ed. Atos & Fatos. Rio de Janeiro. 2001.
De Pastor para Pastores. Um testemunho pessoal. Irland Pereira Azevedo - Rio de Janeiro -Ed. JUERP. 2001


Postagens populares

Meu saudoso pai

Meu saudoso pai
Fundador da IPS

Escrita na parede

O destino da humanidade

A Previsão do Tempo

Blog Amigo

MOMENTO DA PALAVRA

MOMENTO DA PALAVRA

Teste os Seus Conhecimentos Biblicos

Resultado: 9 pontos

Parabéns! Você possui um bom conhecimento da Bíblia, pode se considerar um 'expert' em textos sagrados.

Teste Seus Conhecimentos Bíblicos.

Oferecimento: InterNey.Net

Adicione este site aos seus favoritos

Obrigado pela sua visita desde 2007