terça-feira, 30 de junho de 2009

Líder ou Chefe?

A nossa sociedade necessita de lideres, pessoas capazes para tomar decisões nas mais diferentes áreas de nossas vidas.

Na vida cristã não é diferente. A todo tempo estamos sendo chamados para tomar decisões.

Às vezes pensamos que estas demandas são apenas atuais, mas quando olhamos o texto Sagrado vemos que o Senhor já orientava Moisés na primeira instituição de juízes que iriam julgar sobre o povo de Israel.

Êxodo 18
21 E tu dentre todo o povo procura homens capazes, tementes a Deus, homens de verdade, que odeiem a avareza; e põe-nos sobre eles por maiorais de mil, maiorais de cem, maiorais de cinquenta, e maiorais de dez;
22 Para que julguem este povo em todo o tempo; e seja que todo o negócio grave tragam a ti, mas todo o negócio pequeno eles o julguem; assim a ti mesmo te aliviarás da carga, e eles a levarão contigo.

Carateristicas destacadas:
.Capacidade.
.Tementes a Deus.
.Verdadeiros.
.Não avarentos.

O Senhor Deus, usa o sogro de Moisés para alertá-lo sobre o excesso de trabalho e a divisão de tarefas e uma das suas características na liderança da nação de Israel.

Mas a tomada de decisão exige do líder algumas condições para que possa exercer bem seu cargo ou função.

Na primeira carta do apostolo Paulo a Timoteo no capítulo 3 encontramos:
1 ESTA é uma palavra fiel: se alguém deseja o episcopado, excelente obra deseja.
2 Convém, pois, que o bispo seja irrepreensível, marido de uma mulher, vigilante, sóbrio, honesto, hospitaleiro, apto para ensinar;
3 Não dado ao vinho, não espancador, não cobiçoso de torpe ganância, mas moderado, não contencioso, não avarento;
4 Que governe bem a sua própria casa, tendo seus filhos em sujeição, com toda a modéstia
5 (Porque, se alguém não sabe governar a sua própria casa, terá cuidado da igreja de Deus?);
6 Não neófito, para que, ensoberbecendo-se, não caia na condenação do diabo.
7 Convém também que tenha bom testemunho dos que estão de fora, para que não caia em afronta, e no laço do diabo.

Aqui encontramos mais exigências para a vida de um lider exemplar:
.Irrepriensivél.
.Fiel a esposa ou ao marido.
.Vigilante.
.Sóbrio.
.Honesto.
.Hospitaleiro.
.Apto a ensinar.
.Não dado ao vinho.
.Não espancador.
.Não cobiçoso.
.Não contencioso.
.Não avarento.
.Não neófito.

Estas recomendações do Apostolo Paulo sobre o lider nós iremos encontrar em outras cartas, confirmando a vontade do Senhor da igreja para a vida dos seus líderes.

Na liderança da igreja a exigência do lider é maior que na vida civil.

Temos duas figuras que podemos encontrar no comando da sociedade ou na vida da igreja: O líder ou o chefe.

Vejamos algumas diferenças:

O Líder: De manhã cedo já está pronto para o que der e vier.
O Chefe: De manhã cedo já está cansado.
O Líder: Planeja seu dia.
O Chefe: Apenas reage aos acontecimentos.
O Líder: Têm planos e metas muito claros.
O Chefe: Tem desculpas prontas.
O Líder: Tenta descobrir por que determinada ação ou procedimento não está funcionando.
O Chefe: Culpa os outros quando alguma coisa não está funcionando.
O Líder: Está sempre pronto para tomar decisões ou resolver problemas.
O Chefe: Diz: “E o que você quer que eu faça?”.
O Líder: Assina e lê boletins e revistas que o ajudem em sua carreira profissional e ministerial.
O Chefe: Acha que boletins e revistas profissionais são perda de tempo e dinheiro.
O Líder: Procura ganhar, no dia-a-dia, o respeito dos outros.
O Chefe: Reclama por não ser respeitado.
O Líder: Faz o que é melhor.
O Chefe: Faz o que os outros fazem.
O Líder; Cuida de sua carreira e seu ministério.
O Chefe: Tem medo de perder o Cargo.
O Líder: Investe seu dinheiro em crescimento profissional e pessoal para aprimorar seu desenvolvimento e da Igreja.
O Chefe: Acha um absurdo gastar o que ganha em “coisas da Igreja”.

O nosso país esta passando por momento impar quando a nossa câmara maior o Senado, esta sendo mais uma vez questionado e investigado, sobre desvios de conduta e ações incoerentes com a orientação daquela casa, que deve ser símbolo de probidade, honestidade e transparência administrativa.

E o que nos chama a atenção é saber que o líder atual desta casa já foi nosso Presidente da República e esta sendo orientado deixar o cargo.

Isto que parece ser, mais um escândalo em nosso país, ou será que é mais uma demonstração de que nós como cidadãos não estamos preparados para assumir posições e tomar decisões que afetam direta e indiretamente a vida de muitos.

E comum pensarmos que nós como cidadãos evangélicos não temos nada a ver com isso e como igreja de Deus.

Creio que esta seria, mas uma visão distorcida da função da igreja de Deus na terra.
Nós somos “Sal e Luz”, temos que fazer a diferença.

Se estamos aqui para demonstrar na prática como viver uma vida sadia e coerente com a vontade do ETERNO – acreditando que a Bíblia Sagrada é o melhor manual para a vida - nada mas justo - que venhamos a demonstrar a nossa opinião, porque a igreja tem sido questionada todo o tempo pela sociedade civil.

É comum ouvirmos que a fé e política não combinam, mas como vamos fazer a diferença?
Olhando o que esta acontecendo sem nada fazer?

Cremos que o Senhor o dono da Igreja quer que essa igreja faça a diferença nestes dias.

Se levarmos em consideração o mandamento do Senhor Jesus (Mt. 28:19.20), veremos que é de fato obrigação da igreja ensinar a melhor maneira de viver.

Acreditamos que a igreja do Senhor é celeiro, e nós como seus lideres devemos nos preocupar como estamos orientando os nossos discípulos.

Pois do seio da igreja iram surgir lideres de todas as áreas da nossa sociedade, não apenas da igreja, mas também da sociedade em geral que vive e cresce fora dos ensinos ditados pela palavra de Deus.

Por esta razão a pergunta? Líder ou chefe?

O que o nosso país esta necessitando agora?

A igreja do senhor é o maior celeiro para responder a todas as questões e anseios da nossa vida cotidiana. Porque nós temos a mente de Cristo, portanto estamos aptos para fazer a diferença.

Se você meu amado irmão tem esse chamado para a vida pública ore ao senhor se prepare e a vá a luta por o Senhor Deus ETERNO será contigo nesta caminhada.

Josué 1
6 Esforça-te, e tem bom ânimo; porque tu farás a este povo herdar a terra que jurei a seus pais lhes daria.
7 Tão-somente esforça-te e tem mui bom ânimo, para teres o cuidado de fazer conforme a toda a lei que meu servo Moisés te ordenou; dela não te desvies, nem para a direita nem para a esquerda, para que prudentemente te conduzas por onde quer que andares.
8 Não se aparte da tua boca o livro desta lei; antes medita nele dia e noite, para que tenhas cuidado de fazer conforme a tudo quanto nele está escrito; porque então farás prosperar o teu caminho, e serás bem sucedido.
9 Não to mandei eu? Esforça-te, e tem bom ânimo; não temas, nem te espantes; porque o SENHOR teu Deus é contigo, por onde quer que andares.

Estejamos preparados para fazer a diferença em qualquer ou posição que nos for dada, sempre olhando para o alvo que é Cristo.

Quando olhamos para os homens públicos que se destacaram em nossa sociedade contemporânea percebemos que muitos deles tiveram berço religioso.

Encontramos na Bíblia vários exemplos de liderança, Noé, Abraão, Jose, Moisés, Davi,Paulo, etc.

Todos com qualidades e limitações, percebemos que a Bíblia continua sendo fonte de pesquisa para que possamos ver o modelo ideal de líder para os nossos dias.

A nossa responsabilidade é cada vez maior como alguém que é destinado em Jesus para fazer a diferença, devemos tomar a nossa posição e sermos de fato o Sal da Terra e a Luz do mundo.

Façamos diferença como Igreja do Senhor.

O Senhor Jesus foi o maior exemplo de líder que podemos encontrar na história da humanidade.E continua sendo um líder sempre presente em nossas vidas.

A igreja de Cristo necessita de homens e mulheres capazes a serviço do Senhor e a sociedade civil também.

Você é josué de Deus!!

Que sejamos lideres exemplares engajados na obra do nosso Deus !

Graça e Paz

Pr. Moabi Brito

sexta-feira, 26 de junho de 2009

Lei ou Ética

...à ética da Lei de Moisés. Ela exige: “Não adulterarás” (Êx 20.14). Mas Jesus disse: “qualquer que olhar para uma mulher com intenção impura, no coração, já adulterou com ela” (Mt 5.28). A lei de Moisés impõe: “Não matarás” (Êx 20.13). Mas Jesus ensina: “Eu, porém, vos digo: amai os vossos inimigos e orai pelos que vos perseguem” (Mt 5.44).

A ética estabelecida por Jesus Cristo supera tudo que já houve em matéria de lei moral e toda e qualquer possibilidade dentro da ética humana.

O Senhor Jesus exige que cumpramos normas opostas ao nosso comportamento natural.

Essa ética estabelecida por Jesus só pode ser seguida por pessoas que nasceram de novo, que entregaram todo o seu ser ao Senhor:

“Porei no seu coração as minhas leis e sobre a sua mente as inscreverei” (Hb 10.16).

A Bíblia diz, ainda, acerca dos renascidos: Deus “...nos habilitou para sermos ministros de uma nova aliança, não da letra, mas do espírito; porque a letra mata, mas o espírito vivifica” (2 Co 3.6).

Curiosamente, Paulo escreveu essas palavras justamente à igreja que tinha mais problemas com ira, ciúme, imoralidade, libertinagem e impureza espiritual entre seus membros.

Mas, ao admoestá-los, ele estava dizendo aos crentes de Corinto – e, por extensão, a todos nós – que é possível ter uma ética superior e viver segundo os elevados preceitos de Jesus quando nascemos de novo.

Vivendo assim os cristãos não estão rejeitando a ética da Lei de Moisés mas estabelecem uma ética muito superior, a ética do Espírito Santo, do qual a Bíblia diz: “Mas o fruto do Espírito é: amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio. Contra estas coisas não há lei” (Gl 5.22-23).

Como, porém, colocamos isso em prática? Simplesmente vivendo um relacionamento íntimo e autêntico com Jesus Cristo. O que pensamos, o que falamos, o que fazemos ou deixamos de fazer deve ser determinado somente por Jesus: “E tudo o que fizerdes, seja em palavra, seja em ação, fazei-o em nome do Senhor Jesus, dando por ele graças a Deus” (Cl 3.17).

Será que hoje nós ainda necessitamos destas leis ou desta ética? Ou ficou para a igreja do 1º Século?

Certamente, o ser humano deste da sua tenra idade necessita de normas e regras para uma vida sadia. Quando este ser cresce as suas obrigações aumentam algumas normas são modificadas. Creio que na vida cristã também temos um nascimento, crescimento e amadurecimento com normas e regras todo o tempo.

Viver o evangelho de Senhor Jeus é muito mais do que frequentar uma igreja, cantar um louvor, mas sim cumprir a sua vontade, não por uma obrigação da lei, mas por porque o amamos, e sabermos que Ele primeiro nos amou e por reconhecermos seu amor fazemos a sua vontade.

Na prática, devemos nos comportar como se tudo o que fizermos levasse a assinatura de Jesus. Somente quando nos entregarmos completamente ao Senhor Jesus poderemos produzir fruto espiritual.

Talvez nós mesmos nem o percebamos, mas certamente as pessoas que nos cercam perceberão que o Espírito está frutificando em nós.

Enquanto escrevo estas poucas linhas, minha esposa esta cantando: "Nenhuma condenação há, para aquele que esta em ti Jeus, cuja a vida coberta esta pelo sangue que Verteu na cruz...".

Estar em Cristo é de fato ser uma nova criatura, que foi lavada pelo sangue do Senhor Jesus.

Quando submetermos todo nosso ser ao Senhor, o fruto do Espírito poderá crescer em nós em todos os seus nove dons e desdobramentos.

Graças ao Bom Deus que no seu infinito amor continua nos orientando, nos levando a viver a sua palavra.

Que seja assim na vida de todos nós!

Amém

Graça e Paz

Pr. Moabi Brito

quinta-feira, 25 de junho de 2009

Movimento Pentecostal no Brasil (História da Igreja)

A Igreja Pentecostal no Brasil
No Brasil, o Pentecostalismo chegou em 1910-1911, com a vinda de missionários originários da América do Norte: Louis Francescon, que dedicou seu trabalho entre as colônias italianas no Sul e Sudeste do Brasil, originando a Congregação Cristã no Brasil; Daniel Berg e Gunnar Vingren, que inciaram suas missões na Amazônia e Nordeste, dando origem às Assembléias de Deus no Brasil.

O movimento pentecostal pode ser dividido em três ondas

A primeira onda
Chamada pentecostalismo clássico abrangeu o período de 1910 a 1950 e iniciou-se com sua implantação no país, decorrente da fundação da Congregação Cristã no Brasil e mais tarde a Assembléia de Deus até sua difusão pelo território nacional. Desde o início ambas as igrejas caracterizam-se pelo anticatolicismo, pela ênfase na crença no Espírito Santo, por um modo de vida que rejeita os valores do mundo e defende a plenitude da vida moral.
Em 1932 em Mossoró-RN iniciou-se a Igreja de Cristo no Brasil sendo a primeira denominação evangélica nordestina e diferente das demais da época com ênfase na doutrina da perseverança dos salvos.

A segunda onda
Começou a surgir na década de 1950, quando chegaram a São Paulo dois missionários norte-americanos da International Church of The Foursquare Gospel. Na capital paulista, eles criaram a Cruzada Nacional de Evangelização e, centrados na cura divina, iniciaram a evangelização das massas, principalmente pelo rádio, contribuindo bastante para a expansão do pentecostalismo no Brasil. Em seguida, fundaram a Igreja do Evangelho Quadrangular.
Na década de 1960, surgiram: O Brasil para Cristo, Igreja Pentecostal Deus é Amor, Casa da Bênção, Igreja Unida, Igreja Primitiva e diversas outras menores.

A terceira onda
O movimento neopentecostal teve início na segunda metade dos anos 70.
Fundadas por brasileiros, a Igreja Universal do Reino de Deus (Rio de Janeiro, 1977), a Comunidade Evangélica Sara Nossa Terra (Brasília, 1992) e a Renascer em Cristo (São Paulo, 1986) estão entre as principais. Utilizam intensamente a mídia eletrônica e aplicam técnicas de administração empresarial, com uso de marketing, planejamento estatístico, análise de resultados etc. Algumas delas pregam a Teologia da Prosperidade, pela qual o cristão está destinado à prosperidade terrena, rejeitando os tradicionais usos e costumes pentecostais. O neopentecostalismo constitui a vertente pentecostal mais influente e a que mais cresce. Também são mais liberais em questões de costumes.

Paralelamente ao Pentecostalismo, várias denominações protestantes tradicionais experimentaram movimentos internos, com manifestações pentecostais, assim foram denominados "Renovados, Avivados ou Restaurados", como a Igreja Presbiteriana Renovada, Convenção Batista Nacional, Igreja do Avivamento Bíblico e Igreja Cristã Maranata.

A doutrina de renovação do Pentecostalismo ultrapassou até mesmo as fronteiras do Protestantismo, surgindo movimentos de renovação pentecostal Católica Romana e Ortodoxa Oriental, como a Renovação Carismática Católica.

O nosso objetivo com estes textos é tentar popularizar o que ainda parece do domínio de alguns pelo menos na aparência é claro.
O direto ao conhecimento destas doutrinas e movimentos que nos parece ser útil aos nossos alunos, amigos e também aqueles que querem aprender um pouco mais e não podem freqüentar um seminário, comprar livros ou sentem vontade de conhecer da nossa fé..

E claro que aqui estão apenas resumos de cada assunto tratado que são vastos na sua totalidade, mas pensamos estar contribuindo, mesmo que bem pouco, temos consciência mas para despertar a curiosidade do saber teológico de nossos leitores.

“Houve um grande incêndio na floresta, todos os animais saíram em desespero procurando abrigo. Um solitário beija-flor foi até o rio mais próximo encheu se pequeno bico de água e voltou para o local do incêndio, apos deixar a sua "carga", foi parado por um elefante que lhe perguntou o que você pensa que esta fazendo? Tentando apagar o incêndio e você........?”

Existe uma demanda reprimida do saber teológico no meio evangélico do Brasil, mais nossos seminários e livros são caros .

O STEE um seminário interdenominacional, trabalha para levar até as pessoas a baixo custo um curso "presencial" todo apostilado de “Capacitação Ministerial e Básico de Teologia, para facilitar o entendimento de nossos alunos futuros obreiros e obreiras.

Não se sentido satisfeito o STEE agora traz via Internet um pouco do que é passado para nossos alunos. Tentando cumprir o Ide do Senhor, Mt 28:19,20.

Mt. 11:25

Graça e Paz

Pr. Moabi Brito

História da Igreja III O Novo Testamento (resumo)

Analisando o Novo Testamento

Os manuscritos originais (autógrafos) não existem mais, e foram reconstituídos a partir de cópias produzidas pelos primeiros pais da Igreja primitiva, ainda sem denominação. Também foram utilizados nesta reconstituição os livros apócrifos, documentos não bíblicos e comentários documentais dos mesmos pais da Igreja que produziram as cópias. Os originais desapareceram principalmente devido à fragilidade do material utilizado para escrever os livros, e pela ilegalidade do movimento, em seu início, o que implicava em perseguição à Igreja.

A veracidade dos escritos, no entanto, pode ser comprovada historicamente pelos motivos abaixo:

• Os Escritos de Marcos datam de 50 a 70 d.C.;
• Vários papiros contendo fragmentos do Evangelho de João foram encontrados no Egito, datando do século II, apenas uma geração após os autógrafos;
• Os escritos foram redigidos num momento muito próximo aos acontecimentos que os geraram;
• Existem cerca de 5400 escritos do Novo Testamento;
• O estilo dos escritos confere com aqueles utilizados no século I (grego coiné)
• Inscrições e gravações em paredes, pilares, moedas e outros lugares são testemunhos do Novo Testamento;
• Lecionários, que eram livros muito utilizados nos cultos da Igreja, continham textos selecionados da Bíblia para leitura, incluindo o Novo Testamento (Séc. IV - VI);
• Os livros apócrifos, apesar de não canônicos, apresentam dependência literária dos textos canônicos, chegando a imitá-los no conteúdo e forma literária, e citam vários livros que compõem o Novo Testamento;
• Os primeiros pais da Igreja comentam e fazem citações de praticamente todo o Novo Testamento.

Vale lembrar que os Evangelhos, que inauguram o Novo Testamento, contém a biografia e os ensinamentos de Jesus, o Cristo foram escritos entre os anos 50 a 70 d.C. aproximadamente..

Os Manuscritos do Mar Morto

Foram encontrados casualmente em uma gruta, nas encostas rochosas da região do Mar Morto, na região de Jericó, em março de 1947, por um pastor beduíno que buscava uma cabra perdida de seu rebanho. São jarros contendo manuscritos de inúmeros documentos dos Escritos Sagrados de uma seita judaica que existiu na época de Jesus, os Essênios. Várias outras grutas foram encontradas após este achado, com muitos outros documentos.

Os Manuscritos ou Documentos do Mar Morto tiveram grande impacto na visão da Bíblia, pois fornecem espantosa confirmação da fidelidade dos textos massoréticos aos originais. O estudo da cerâmica dos jarros e a datação por carbono 14 estabelece que os documentos foram produzidos entre 168 a.C. e 233 d.C. Destacam-se, nestes documentos, textos do profeta Isaías, fragmentos de um texto do profeta Samuel, textos de profetas menores, parte do livro de Levítico e um targum (paráfrase) de Jó.

Os Textos Massoréticos
Alguns sábios judeus, chamados massoretas, iniciaram, entre os séculos VI a X d.C., um trabalho de padronização dos textos hebraicos do Antigo Testamento. Estes textos, como se sabe, foram escritos praticamente sem vogais. No trabalho de padronização, foram inseridas as vogais nos textos originais, o que contribuiu para o desaparecimento dos mesmos.

Língua e manuscritos do Novo Testamento

Os escritos do Novo Testamento se utilizaram do grego coiné (comercial), amplamente conhecido e utilizado no século I, como conseqüência do império de Alexandre, o Grande. Esse idioma possuía muitos recursos lingüísticos e precisão técnica, não encontrados no hebraico, o que permitiu uma maior e mais rápida propagação dos textos entre os povos (assim como o inglês moderno, nos tempos atuais). O grego chegou a ser considerado pela Igreja Católica como a língua do Espírito Santo.

Principais manuscritos


O Novo Testamento tem como característica principal uma imensa quantidade de escritos e evidências externas. Alguns manuscritos, entretanto, merecem destaque. São eles:

Os papiros - produzidos quando o movimento iniciado pelos discípulos de Jesus ainda era ilegal. Datam dos séculos II e III d.C. e constituem valioso testemunho da veracidade do Novo Testamento, pois surgiram a apenas uma geração dos autógrafos originais. Seus representantes mais importantes são:
• p52s ou fragmento de John Rylands (117 - 118 d.C.) - encontrado no Egito, contendo parte do Evangelho de João;
• p45, p46 e p47 ou Papiros Chester Beaty (250 d.C.) - contendo quase todo o Novo Testamento (o p45 contém os Evangelhos e o livro de Atos dos Apóstolos; o p46, a maior parte das cartas de Paulo; e o p47, parte do Apocalipse);
• p66, p72 e p75 ou Papiros de Bodmer (175 - 225 d.C.) - igualmente importantes, incluindo-se entre eles Unciais cuidadosamente impressos e com muita clareza (o p66 contém parte do Evangelho de João e data do ano 200; o fragmento p72 contém cópias de Judas e de I e II Pedro; e o p75 contém a mais antiga cópia do Evangelho de Lucas (175 a.C.).

Os Unciais - manuscritos em caracteres maiúsculos, escritos em velino e pergaminho. Constituem os escritos mais importantes do Novo Testamento, dos séculos III a V. Existem cerca de 297 Unciais, entre eles:
• Códice Vaticano - é o mais antigo dos Unciais (325 - 350 d.C.) e foi desconhecido dos estudiosos bíblicos até 1475, quando foi catalogado na biblioteca do Vaticano; contém a maior parte do Antigo Testamento (versão dos LXX) com os apócrifos e o Novo Testamento em grego;
• Códice Sinaítico (Álefe) - data do século IV e possui poucas omissões;
• Códice Efraimita - originou-se em Alexandria, no Egito, em cerca de 345 d.C.;
• Códice Alexandrino - data do século V;
• Códice Beza ou Cambridge - cerca de 500 d.C.; é o manuscrito bilíngüe mais antigo do Novo Testamento. Foi escrito em grego e latim;

Os Minúsculos - documentos escritos em caracteres minúsculos que datam dos séculos IX ao XV, somando mais de 4000 documentos, entre manuscritos e lecionários (livros muito utilizados nos cultos da Igreja, que continham textos selecionados da Bíblia para leitura, incluindo o Novo Testamento).

Hoje quando nos referimos ao texto original estamos nos referindo a língua original, por que não temos acesso a este material e como eles estão muito desgastados pelo tempo não da para serem manuseados em uma pesquisa.

Pr. Moabi Brito

terça-feira, 23 de junho de 2009

História da Igreja II (Didaqué)

Didaqué A Instrução dos Doze Apóstolos (Resumo)
(Fim do 1° Século)

Introdução:
O Didaque era como um manual de normas básicas para que os discípulos e seus alunos pudessem continuar com a mesma prática nas suas caminhadas de evangelização.
Estamos colocando este resumo do Didaqué como parte da história da igreja. Estes escritos não fazem parte do texto sagrado.

As instruções
Mandamento da instrução é:
Não mate, não cometa adultério, não corrompa os jovens, não fornique, não roube, não pratique a magia nem a feitiçaria. Não mate a criança no seio de sua mãe e nem depois que ela tenha nascido.
Não cobice os bens alheios, não cometa falso juramento, nem preste falso testemunho, não seja maldoso, nem vingativo.
Não tenha duplo pensamento ou linguajar pois o duplo sentido é armadilha fatal.
A sua palavra não deve ser em vão, mas comprovada na prática.
Não seja avarento, nem ladrão, nem fingido, nem malicioso, nem soberbo. Não planeje o mal contra o seu próximo.
Não odeie a ninguém, mas corrija alguns, reze por outros e ame ainda aos outros, mais até do que a si mesmo.

A CELEBRAÇÃO LITÚRGICA

O Batismo
Quanto ao batismo, faça assim: depois de ditas todas essas coisas, batize em água corrente, em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.
Se você não tiver água corrente, batize em outra água. Se não puder batizar com água fria, faça com água quente.
Na falta de uma ou outra, derrame água três vezes sobre a cabeça, em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. (a exceção virou regra?)
Antes de batizar, tanto aquele que batiza como o batizando, bem como aqueles que puderem, devem observar o jejum. Você deve ordenar ao batizando um jejum de um ou dois dias. (hoje é ensinado que não se deve jejuar?).

A Ceia do Senhor
Celebre a (Eucaristia) Ceia do Senhor assim:
Diga primeiro sobre o cálice: "Nós te agradecemos, Pai nosso, por causa da santa vinha do teu servo Davi, que nos revelaste através do teu servo Jesus. A ti, glória para sempre".
Depois diga sobre o pão partido: "Nós te agradecemos, Pai nosso, por causa da vida e do conhecimento que nos revelaste através do teu servo Jesus. A ti, glória para sempre.
Da mesma forma como este pão partido havia sido semeado sobre as colinas e depois foi recolhido para se tornar um, assim também seja reunida a tua Igreja desde os confins da terra no teu Reino, porque teu é o poder e a glória, por Jesus Cristo, para sempre".
Que ninguém coma nem beba da Eucaristia (A Ceia )sem antes ter sido batizado em nome do Senhor (Pai, Filho e Espírito Santo, Mt. 28:19)pois sobre isso o Senhor disse: "Não dêem as coisas santas aos cães". (hoje qualquer um pode participar da Ceia que representa o corpo e o sangue do Senhor?)
Aqui esta apenas um pequeno trecho deste, creio 1° manual doutrinário da igreja nos meados do primeiro século.

Tornar público estes ensinos com o objetivo de dar conteúdo literário aos nossos alunos é para nós de suma importância. Não nos cabe aqui avaliar o conteúdo destes escritos, mas informar aos nossos queridos que a nossa religiosidade não nasceu na idade média, nem na Europa ou EUA, mas sim nos primórdios da civilização humana na região da Palestina, creio que quando o Senhor chama o povo hebreu para O adorar no deserto nos vislumbra a formação de uma igreja que já tinha até visitantes porque pessoas de outros povos saíram com os hebreus do Egito. É facilmente perceptível a repetição dos mandamentos ou instruções do Senhor ao seu povo diversas vezes no texto sagrado tanto no 1° quanto no 2° Testamento. E que também os apóstolos tiveram a sua participação nesta construção e manutenção dos ensinos primeiros da igreja do Senhor, até os nossos dias, quando lemos os Evangelhos ou as Cartas Apostólicas.Vemos a preocupação na manutenção da Sã Doutrina.

Parece-nos que nos dias atuais estão querendo abolir da vida cristã e seus ensinos os Dez Mandamentos como parte do compromisso de vida cristã.(Ap. 3:11)

Graça e Paz

Pr. Moabi Brito

segunda-feira, 22 de junho de 2009

Resumo da história da Igreja Cristã I

Introdução:
Este pequeno resumo da história da Igreja Cristã acredito ira ajudar nossos alunos e outros irmãos interessados na história da Igreja de Cristo. Estaremos abordando os fatos acontecidos depois da morte e ressurreição do nosso Salvador amado, a partir do ano 40 aproximadamente.

40-60-d.C.
Nicolau, um dos sete diáconos que fazia parte da igreja (At. 6:5) desenvolve e introduz a doutrina nicoláita à igreja Cristã Primitiva. Em sua doutrina, a qual foi fundada baseada no dualismo grego, ele e seus seguidores declararam que eram pecadores salvos pela graça significando que eles podiam se parecer com o mundo, vestirem-se como o mundo e viver como o mundo em todos os tipos de pecado e continuarem salvos. Seu ensinamento formou a base para o desenvolvimento da doutrina da segurança eterna a qual acreditava que uma vez salvo para sempre salvo e a confissão dos pecados à um padre; enquanto a pessoa permanecia no pecado, já que seu ensinamento não exigia mudanças internas ou externas para ser salvo e que não era necessário o arrependimento. Nicolau e seus seguidores atraíram um grande número de convertidos oriundos dos muitos sistemas religiosos pagãos da época e também do mundo da igreja cristã apostólica. A sua mensagem para a igreja apostólica era; porque viver no legalismo e nos ensinamentos de santidade e santificação dos apóstolos se podemos ser livres em Jesus Cristo e seus ensinamentos? Ler Ap.2:15.
A doutrina dos nicolaítas violaram os ensinamentos dos apóstolos sobre auto santificação e santidade o qual, fazia parte o ensinamento sobre salvação.

Nesse ensinamento uma vida santificada incluía vestimenta, as atividades das quais os cristãos poderiam participar ou não, bem como códigos sobre sua conduta no dia-a-dia. (Rm 6:1; 12:1; I Tess. 4:3-7; I Ti 2:8-10; Heb. 12:14; I Pe 1:15-16 + muitos mais) Esta doutrina é um dos pilares da igreja liberal de hoje.

Nota especial: A grande queda iniciou-se com a mudança nos ensinos apostólicos sobre arrependimento - santidade e pecado, depois batismo com água e batismo com o Espírito Santo e a aplicação do sangue e então a divindade. Todo o evangelho sobre a doutrina da salvação foi completamente alterado entre 50 e 325 d.C., pelos nicolaítas e os pais da igreja. Mais tarde quando os reformadores entraram na história da igreja eles simplesmente acrescentaram mais mentiras e afastaram se mais ainda dos ensinos apostólicos do mundo cristão trinitariano.

70-150-d.C.- O desenvolvimento da teologia, escolástica como sistema de interpretação às escrituras começa a ser utilizado pelos intelectuais cristãos. Nesse sistema que resultou na criação do mundo trinitariano cristão com uma completa distorção do evangelho dos apóstolos e o plano de salvação dado a eles pelo Senhor Jesus Cristo. Com o desenvolvimento deste ensinamento, o evangelho dos apóstolos foi taxado de heresia. Nas seguintes escrituras Paulo, Pedro e Judas alertam sobre os nicolaítas, pais da Igreja, reformadores e outros grupos não apostólicos e suas doutrinas falsas.

Também é muito interessante notar o então desenvolvimento da Teologia Escolástica, e que o recebimento do batismo com o Espírito Santo e o dom de falar linguas estranhas não aconteceu com aqueles os quais lideravam tais ensinamentos e nem com aqueles que eram ensinados através do novo sistema de estudos.(começou aqui a discriminação dos que falavam em línguas, pois os adeptos da nova teologia não recebiam do Espírito Santo este don).

150 d.C. - Justino Martir promove a primeira mudança com relação ao batismo com água e a divindade. Já que Justino não acreditava que Jesus era Deus, o Pai manifesto como homem, conforme os apóstolos ensinavam, batizava seus convertidos e seguidores da seguinte forma: "Eu te batizo em nome de Deus o Pai de todos e nosso salvador Jesus Cristo e do Espírito Santo". Justino acreditava e ensinava da mesma forma que os judeus que crêen que o nome de Deus é tão sagrada que o homem não deve pronunciá-lo, daí a sua afirmação de que Deus, o Pai e seu filho Jesus Cristo eram duas pessoas diferentes, pois ele não cria no nome de Jesus Cristo, sendo também, o nome do Deus Pai e do Espírito Santo. Esse resultado foi o pilar para o desenvolvimento de diferentes trindades no mundo religioso cristão. Ensino diferente do que o Senhor Jesus nos ensinou em Mt.28:19.
190 /200 d.C. - Origenes e Tertuliano desenvolvem as duas doutrinas trinitaristas e criam a nova fórmula para o batismo. Como Justino Martir, eles mantém os ensinamentos apostólicos sobre arrependimento, sangue e submersão, porém não mais utilizam só o nome de Jesus no batismo.
220 d.C. - Origenes começa a pregar a doutrina do batismo para bebês, por causa da observância sobre o pecado original ensinado na sua escola de preparação para o batismo na Alexandria, Egito.
325 d.C. - Sob o governo de Constantino, no Concilio de Niceia, a trindade santa e a fórmula batismal trinitariana são declaradas doutrinas do Império Romano e da Igreja Católica Romana(inicio da Igreja Católica Apostólica Romana).
416 d.C. - O batismo infantil e por aspersão torna-se compulsório na igreja Ocidental.
451 d.C. - Institui-se a adoração à Maria como mãe de Deus.
607 d.C. - Bonifácio III torna-se o 1º Bispo à adotar o nome de Papa na Igreja Católica Romana. O tal Bispo só deu esse passo, após a queda do Império Romano.
709 d.C. - Começa-se a beijar os pés do Papa.
786 d.C. - Desenvolve-se a adoração à imagens e relíquias.
850 d.C. - Inicia-se o uso da água benta.
995 d.C. - Canonização de santos mortos.
998 d.C. - Jejuns às sextas feiras santas e antes da quaresma.
1056 d.C. - As igrejas Católicas Romana e grega Ortodoxa dividem-se por causa das suas diferenças, autoridade papal, leis de batismo e a veneração da imagem de santos mortos e imagens. É importante ressaltar que as diferenças de idioma entre o grego e o latim bem como, a diferença entre o leste e o oeste trouxeram a divisão na oficial. Já em 500 d.C., porém a ruptura oficial só aconteceu em 1056 d.C.
1079 d.C. - Institui-se o celibato do Sacerdócio.
1090 d.C. - Os rosários (terços) são adotados em diversos sistemas religiosos pagãos.
1184 d.C. - Inicia-se a inquisição (26 milhões de judeus e protestantes são mortos nas mãos da Igreja Romana).
1190 d.C. - É instituída a venda de indulgências.
1215 d.C. - Transubstanciação da hóstia e do vinho.
1220 d.C. - Adoração da hóstia (receber).
1229 d.C. - Bíblia proibida para os leigos.
1414 d.C.- Proibido o cálice para os leigos.
1439 d.C. - Criada a lei do purgatório.
1439 d.C. - Afirma-se o dogma dos sacramentos.
1508 d.C. - Ave Maria louvada.
1545 d.C. - A importância da tradição é equiparada com a Bíblia. (Concilio de Trento)
1546 d.C. - Os livros apócrifos são acrescentado á Bíblia Católica Romana.
1854 d.C. - Imaculada concepção de Maria.
1870 d.C. - É declarada a infalibilidade do Papa.
1950 d.C. - Declarada a entrada da Virgem Maria no céu.
1965 d.C. - Maria é declarada a mãe Rainha dos céus, de Deus, de Jesus e da Igreja.
1985 d.C. - O Para João Paulo II declara que os pecados não serão diretamente perdoados e que para isso será necessária a confissão à um padre da Igreja Católica Romana.

Quando lemos ou ouvimos alguma notícia diferente do que a história nos conta ficamos preocupados.

Continuamos orando ao ETERNO, pedindo sabedoria.

Graça e Paz

Pr. Moabi Brito

sábado, 20 de junho de 2009

Arca da Aliança

A Arca da Aliança, Arca de Deus ou Arca do Pacto (hebraico:ארון הברית aróhn hab•beríth; grego: ki•bo•tós tes di•a•thé•kes”) é descrita na Bíblia como o objeto em que as tábuas dos Dez mandamentos teriam sido guardadas, como também veículo de comunicação entre Deus e seu povo escolhido. Foi objeto de veneração entre os hebreus até seu desaparecimento, que segundo especulações, ocorreu na conquista de Jerusalém por Nabucodonosor. Segundo o livro de II Macabeus, o profeta Jeremias foi o responsável por escondê-la.

Origem
Segundo o livro do Êxodo, a montagem da Arca foi orientada por Moisés, que por instruções divinas indicou seu tamanho e forma. Nela foram guardadas as duas tábuas da lei; a vara de Aarão; e um vaso do maná. Estas três coisas representavam a aliança do Deus Yeovahh com o povo de Israel. Para judeus e prosélitos a Arca não era só uma representação, mas a própria presença de Deus.

Construção
A Bíblia descreve a Arca da Aliança da seguinte forma: caixa e tampa de madeira de acácia, com 2 côvados e meio de comprimento (um metro e onze centímetros ou 111cm), e um côvado e meio de largura e altura (66,6 cm). Cobriu-se de ouro puro por dentro e por fora. - (Êxodo 25:10 a 16)

Para seu transporte, necessário para um povo ainda nômade (nómada), foram colocadas quatro argolas de ouro nas laterais, onde foram transpassados varas de acácia recobertas de ouro. Assim, o objeto podia ser carregado pelo meio do povo.

Sobre a tampa, chamada Propiciatório "o Kapporeth", foi esculpida uma peça em ouro, formada por doisquerubins ajoelhados de frente um para o outro, cujas asas esticadas para frente, tocavam-se na extremidade, formando um arco, de modo defensor e protetor. Eles se curvavam em direção à tampa em atitude de adoração (Êxodo 25:10-21; 37:7-9). Segundo relato do verso 22, Deus se fazia presente no propiciatório no meio dos dois Querubins de ouro em uma presença misteriosa que os Judeus chamavam Shekinah ou presença de Deus.

A Arca fazia parte do conjunto do Tabernáculo, com outras tantas especificações. Ela ficaria repousada sobre um altar, também de madeira coberto de ouro, com uma coroa de ouro ao lado.

Somente os sacerdotes levitas poderiam transportar a tocar na arca, e apenas o Sumo-Sacerdote, uma vez por ano, no dia da expiação, quando a Luz de Shekiná se manifestava, entrava no santíssimo do templo. Estando ele em pecado, morreria instantaneamente.

Outros relatos bíblicos se referem ao roubo da arca por outros povos inimigos de Israel (filisteus), que sofreram chagas e doenças enquanto tinham a arca em seu poder. Homens que a tocavam que não fossem levitas ou sacerdotes morriam instantaneamente. Diante dessas terríveis doenças causadas pela presença da Arca do Senhor Deus de Israel, os filisteus se viram numa necessidade de se livrarem do objeto de adoração, então, a mandaram para a cidade de Gate, e logo após para Ecron, sendo sempre rejeitada, o que acarretou na sua devolução ao povo de Israel.


Função e simbologia

A partir do momento em que as tábuas dos Dez Mandamentos foram repousadas no seu interior, a Arca é tratada como o objeto mais sagrado, como a própria representação de Deus na Terra. A Bíblia relata complexos rituais para se estar em sua presença dentro do Tabernáculo.

Segundo relatos, Deus revelava-se como uma figura etérea que se manifestava sobre os querubins que esticavam suas asas sobre a Arca. Tocá-la era um ato severamente punido, inclusive com morte instantânea, razão pela qual existiam varas para seu transporte.

A Arca como instrumento de guerra
A Arca representava o próprio Deus entre os homens. A crença de Sua presença ativa fez com que os hebreus, por várias vezes, carregassem o objeto à frente de seus exércitos nas batalhas realizadas durante a conquista de Canaã. Inicialmente, a presença da Arca era suficiente para que pequenos contingentes hebreus aniquilassem exércitos cananeus inteiros. Mas quando dispensavam-na, sofriam derrotas desastrosas.
Ainda restava o assentamento das sete Tribos de Israel na Terra de Canaã para que a conquista estivesse completa, quando Josué determinou a construção de um Tabernáculo permanente na cidade de Siló, onde a Arca ficaria protegida.

A captura da Arca pelos Filisteus e seu retorno
Nos últimos anos do período dos Juízes de Israel, a Arca da Aliança era guardada pelo sacerdote Eli, e seus filhos Hofni e Finéias. O profeta Samuel, ainda jovem, recebeu uma revelação divina condenando os mesmos ao julgamento, devido a crimes cometidos.

Neste tempo, segundo o relato bíblico, os filisteus invadiram a Palestina, vencendo o exército israelita próximo à localidade de Ebenézer. Estes, vendo-se em situação adversa, apelaram para a Arca, e a trouxeram de Siló. A maldição sobre Eli teria tido lugar, pois a Arca não surtiu efeito na batalha: os israelitas foram derrotados, e o objeto capturado. Os filhos de Eli foram mortos, e este, ao saber da notícia, caiu de sua cadeira e morreu com o pescoço quebrado.

Os filisteus teriam tomado a Arca como despojo de guerra, e a levaram ao templo de Dagom, em Asdode. O relato bíblico conta que a simples presença do santuário naquele local foi o suficiente para que coisas estranhas ocorressem: por duas vezes, a cabeça da estátua de Dagom apareceu cortada. Em seguida, moléstias (hemorróidas, especificamente, além de um surto de ratos) teriam assolado a população de Asdode, inclusive príncipes e sacerdotes filisteus, o que fez com que a arca fosse transportada para Ecrom, outra cidade filistéia. Porém, a população local reagiu negativamente à sua presença, e a enviou de volta ao território de Israel numa carroça. O tempo de permanência da Arca na Filístia teria sido de sete meses.
A carroça, puxada por vacas, parou em Bete-Semes, onde foi recebida por um certo Josué (personagem diferente do Josué, comandante da Conquista de Canaã). Os bete-semitas, movidos pela curiosidade, olharam para o interior da Arca, e morreram instantaneamente. Em seguida, foi transportada para Quireate-Jearim, onde ficou aos cuidados de Eleazar por 20 anos.

A Arca em Jerusalém e o Templo de Salomão
No início de seu reinado, Davi ordenou que a Arca fosse trazida para Jerusalém, onde ficaria guardada em uma tenda permanente no distrito chamado Cidade de Davi. Com o passar do tempo, Davi tomou consciência de que a Arca, para ele símbolo da presença de Deus na Terra, habitava numa tenda, enquanto ele mesmo vivia em um palácio. Então começou a planejar e esquematizar a construção de um grande Templo. Entretanto, esta obra passou às mãos de seu filho Salomão.

No Templo, foi construído um recinto (chamado na Bíblia de "oráculo") de cedro, coberto de ouro e entalhes, dois enormes querubins de maneira à semelhança dos que havia na Arca, com um altar no centro onde ela repousaria. O ambiente passou a ser vedado aos cidadãos comuns, e somente os levitas e o próprio rei poderiam se colocar em presença do objeto sagrado.

Desaparecimento
A Arca permaneceu como um dos elementos centrais do culto a Deus praticado pelos israelitas durante todo o período monárquico, embora poucas referências sejam feitas a ela entre os livros de Reis e Crônicas.
Em 587 a.C (ou 607 a.C, segundo alguns estudiosos), Nabucodonosor, rei da Babilônia, invadiu o reino de Judá e tomou a cidade de Jerusalém. O relato bíblico menciona um grande incêndio que teria destruído todo o templo. A Arca desaparece completamente da narrativa a partir desse ponto, e o próprio relato é vago quanto ao seu destino.
Para os católicos que se utilizam da Septuaginta, Escrituras Sagradas na versão grega dos LXX, o desaparecimento da Arca é narrado no livro de II Macabeus, não aceito pelos protestantes e pelos judeus. Nessa situação o profeta Jeremias haveria mandado que levassem a Arca até o monte Nebo para ali a esconder em uma caverna (II MAC Cap. 2).
" O escrito mencionava também como o profeta, pela fé da revelação, havia desejado fazer-se acompanhar pela arca e pelo tabernáculo, quando subisse a montanha que subiu Moisés para contemplar a herança de Deus. No momento em que chegou, descobriu uma vasta caverna, na qual mandou depositar a arca, o tabernáculo e o altar dos perfumes; em seguida, tapou a entrada. Alguns daqueles que o haviam acompanhado voltaram para marcar o caminho com sinais, mas não puderam achá-lo. Quando Jeremias soube, repreendeu-os e disse-lhes que esse lugar ficaria desconhecido, até que Deus reunisse seu povo e usasse com ele de misericórdia.Então revelará o Senhor o que ele encerra e aparecerá a glória do Senhor como uma densa nuvem, semelhante à que apareceu sobre Moisés e quando Salomão rezou para que o templo recebesse uma consagração magnífica." (II Mac, 2, 4-7, Bíblia Ave-Maria).

Como os relatos bíblicos afirmam que somente os israelitas descententes de Aarão (Da tribo de Levi) poderiam transportá-la, qualquer não-levita seria consumido por Deus ao tocá-la, por isso é improvável que a mesma tenha sido destruída.

A busca pela Arca
Não há certezas acerca de sua existência ou destruição. É possível que, antes de atear fogo ao Templo, os soldados de Nabucodonosor tenham tomado todos os objectos de valor (incluindo a arca coberta de ouro) e a levado como prémio pela conquista.
Uma vez em posse dos babilónicos, ela pode ter sido destruída para se obter o ouro, ou conservada como troféu. Babilónia também foi conquistada posteriormente por persas, macedónios, partos e outros tantos povos, e seus tesouros (incluindo possivelmente a Arca) podem ter tido incontáveis destinos.

De qualquer modo, ela tem sido um dos tesouros arqueológicos mais cobiçados pela humanidade, e inúmeras expedições à Mesopotâmia e à Palestina foram realizadas, sem sucesso. Existem hoje em vários museus réplicas da Arca baseadas nas descrições bíblicas, mas a verdadeira jamais foi encontrada.
O cineasta George Lucas inspirou-se na busca pela Arca para o roteiro de seu filme Raiders of the Lost Ark (entitulado Caçadores da Arca Perdida, no Brasil; Indiana Jones e os Salteadores da Arca Perdida, em Portugal).

Para muitos a Arca foi trazida pelo filho do Rei Salomão, com a Rainha de Sabá (rainha da atual Etiópia). E está guardada em um templo na Etiópia, onde um único Sacerdote pode vê-la.

Devido a sua antiguidade a Arca tem sido usada por outras religiões.

A Arca na sua origem não é um símbolo pagão.

O Islanismo foi fundado apox. no século VI d.C por Maomé.

Acredita-se, geralmente, que a Franco Maçonaria moderna foi criada em 1717 quando foi estabelecida sua Grande Loja da Inglaterra e que foi o Dr. James Anderson quem escreveu a suas "Novas Constituições." (Vide, por exemplo, o livro “Por Trás Das Portas da Loja” (Behind the Lodge Door) de Paul A. Fisher, Shield publishing, Inc., P.O.Box 90181, Washington D.C.20090, pág. 24), talvez por este motivo lhe seja creditado a autoria da maçonaria moderna. Porque até aquele momento só existiam manuscritos sobre a maçonaria.

É verdade que o novo nome foi adotado em 1717, mas o verdadeiro criador da Franco Maçonaria não foi Anderson. Além disso, pouquíssimas pessoas, incluíndo a maioria de seus membros, sabem que a sua verdadeira origem tem 2000 anos de idade. Na verdade, até onde sabemos, nenhum dos atuais livros maçônicos relatam a sua verdadeira origem.

Acredita-se que a “Força Misteriosa” ou “Franco Maçonaria” ou “Maçonaria”, foi fundada pelo Rei Herodes Agripa por sugestão de Hiram Abiud, com o consentimento de Moab Levy, Adoniram, Johanan, Jacob Abdon, Antipas, Salomão Aberon, e Ashad Abia no ano 43 d.C.. O nome original era “Força Misteriosa.”. Todos os seus fundadores pertenceram ao Judaísmo.

As seções seguintes são baseadas nas traduções, em língua inglesa, dos manuscritos originais escritos em hebraico sobre a história da Maçonaria. A história foi transmitida pelos 9 (nove) fundadores apenas para os descendentes diretos desses 9 fundadores. Umas das cópias originais do manuscrito em hebraico foi passada por Moab Levy, um dos fundadores, para Joseph Levy no século 17. Entretanto a cópia pertencente a Joseph Levy foi roubada por John Theophilus Desaguliers, o fundador da Maçonaria Moderna, que foi fundada após Joseph Levy ter sido assassinado por Desaguliers.

Abraham Levy (ou Abrahão Levy), filho de Joseph Levy, morreu de tuberculose dois anos depois de seu casamento com Esther. Esther casou-se novamente com Abraham Abiud (Abrahão Abiud) que era um descendente direto de Hiram Abiud, o verdadeiro fundador da Antiga Associação Maçônica.

Por esta razão explicasse o uso de símbolos do judaísmo na sua liturgia.

Graça e Paz

sexta-feira, 19 de junho de 2009

Escribas e Fariseus

Fariseu (do hebraico פרושים) é o nome dado a um grupo de judeus devotos à Torá, surgidos no século II a.C.. Opositores dos saduceus, criam uma Lei Oral, em conjunto com a Lei escrita, e foram os criadores da instituição da sinagoga. Com a destruição de Jerusalém em 70 d.C. e a queda do poder dos saduceus, cresceu sua influência dentro da comunidade judaica e se tornaram os precursores do judaísmo rabínico. A palavra Fariseu tem o significado de "separados", " a verdadeira comunidade de Israel", "santos".

A obra do lider veterotestamentário Esdras, que busca o dominio do texto e o ensino da lei, foi continuada por aqueles que ficaram conhecidos como escribas. Seu conjunto maior de defensores eram o grupo minonitário de hassidins que se separou das atitudes politicas da maioria no segundo século II d.C. Alexandra Salomé 76-67 a.C. lhes concedeu o poder de governo, e desde então se tornaram dominantes no sinédrio. Na época de do 2° Testamento eram pro romanos. Vinham principalmente da classe média e por entender as pessoas comuns, procuravam tornar suportavéis as leis rigorosas.

A lei se adaptava as condições mutaveis, e as decisões sobre a sua aplicação no momento recaía sobre todos. Continha 613 mandamentos: 248 afirmativos e 365 negativos, havia 39 conjuntos de atividades proibidas no sábado. Eles davam grande destaque ao dízimo, sem dúvida eram eticamente superiores a maioria.
Os escribas eram importantes escritores profissionais do antigo Israel, requisitados pelo publico para escrever contratos, cartas e manter registros. Jr. 32:12. Esdras era sacerdote e escriba,. Ed. 7:11. também administravam a lei como juizes não pagos no Sinedrio, daí o título interprete da lei, alguns acreditavam em Yeshua.
Origens e história

A origem mais próxima do nome fariseu está no latim pharisaeus, que por sua vez deriva do grego antigo ϕαρισαῖος, assentado no hebraico פרושים prushim . Esta palavra vem da raiz parash que basicamente quer dizer "separar", "afastar". Assim, o nome prushim ou perushim é normalmente interpretado como "aqueles que se separaram" do resto da população comum para se consagrar o estudo da Torá e das suas tradições. Todavia, sua separação não envolvia um ascetismo, já que julgavam ser importante o ensino à população das escrituras e das tradições dos pais.

A origem mais provável dos perushim é que tenham surgido do grupo religioso judaico chamado hassidim (os piedosos), que apoiaram a revolta dos macabeus (168-142 a.C.) contra Antíoco IV Epifânio, rei do Império Selêucida, que incentivou a eliminação de toda cultura não-grega através da assimilação forçada e da proibição de qualquer fé particular. Uma parte da aristocracia da época e dos círculos dos sacerdotes apoiaram as intenções de Antíoco, mas o povo em geral, sob a liderança de Yehudah Makkabi (Judas Macabeu) e sua família revoltou-se.

Os judeus conseguiram vencer os exércitos helênicos e estabelecer um reino judaico independente na região entre 142 a.C.- 63 a.C., quando então foram dominados pelos romanos. Durante este período de 142-63 a.C., a família dos macabeus estabeleceu-se no poder e iniciou uma nova dinastia real e sacerdotal, dominando tanto o poder secular como o religioso. Isto provocou uma série de crises e divisões dentro da sociedade israelita da época, visto que pela suas origens os Macabeus (também conhecidos pelo nome de família como Asmoneus) não eram da linhagem de Davi, não podendo assim ocupar o trono de Israel, e também não eram da linhagem sacerdotal araônica.

Grupos reacionários apareceram dentro da sociedade judaica, tentando restabelecer o seu prestígio e poder, ou pelo menos o que eles consideravam como certo segundo a Lei e tradições judaicas. Assim, foi nesta época que provavelmente apareceram: 1) Os tzadokim (saduceus), clamando ser os legítimos descendentes de Tzadok e portanto os legítimos detentores do sumo-sacerdócio e da liderança religiosa em Israel; 2) os perushim (fariseus), oriundos dos hassidim que, geralmente, desiludidos com a política, voltaram-se para a vida religiosa e estudo da Torá, esperando pela vinda do Messias e do reino de Deus; 3) e os Essênios, oriundos provavelmente também dos "Hassidim" e de um grupo de sacerdotes descontentes com a situação que se afastaram da sociedade judaica em geral e foram viver uma vida de total consagração ao Criador na região do deserto a fim de preparar o caminho para a vinda do Rei Messias .

Os perushim agrupavam-se em "havurot", associações religiosas que tinham os seus líderes e suas assembléias, e que tomavam juntos as suas refeições. Segundo Flávio Josefo, historiador judeu do 1º século d.C., o número de perushim na época era de pouco mais de seis mil pessoas (Antigüidades Judaicas 17, 2, 4; § 42). Eles estavam intimamente ligados à liderança das sinagogas, ao seu culto e escolas. Eles também participavam como um grupo importante, ainda que minoritário, do Sinédrio, a suprema corte religiosa e política do Judaísmo da época. Muitos dentre os "perushim" tinham a profissão de sofer (escriba), ou seja, a pessoa responsável pela transmissão escrita dos manuscritos e da interpretação dos mesmos. Duas escolas de interpretação religiosa se desenvolveram no seio dos perushim e se tornaram famosas: a escola de Hillel e a escola de Shammai. A escola de Hillel era considerada mais "liberal" na sua interpretação da Lei, enquanto a de Shamai era mais "estrita".

O cristianismo perpretou através da história uma visão estereotipada dos "perushim" junto aos escribas e saduceus, como os adversários de Jesus, que ataca duramento seu orgulho, sua avareza, sua hipocrisia e, sobretudo, o perigo de crer que a salvação vem da lei.

No entanto os "perushim" eram uma seita de grande influência em Israel devido ao ensino religioso e político. Aceitavam a Torá escrita e as tradições da Torá oral, na unicidade do Criador, na ressurreição dos mortos, em anjos e demônios, no julgamento futuro e na vinda do rei Messias. Eram os principais mestres nas sinagogas, o que os favoreceu como elemento de influência dentro do judaísmo após a destruição do Templo. São precursores por suas filosofias e idéias do judaísmo rabínico.

Máximas dos Fariseus
• "A verdade é o selo de Deus"
• "Mais que toda ação religiosa, Deus quer um coração puro"
• "Toda oração deve ser precedida por um ato de caridade"
• "Aquele que comete uma falta em segredo, nega a onipotência de Deus"
• "Se Deus reserva a recompensa das boas ações para o mundo futuro é com o fim de que os homens ajam neste mundo por convicção e não por interesse"
• "Sêde dos discípulos de Arão, amai a paz e sacrificai tudo para mantê-la"
• "Não julgues teu próximo até que te encontres no lugar dele"
• "Julgai todo mundo com indulgência"
• "Não envergonhai o próximo em público, porque isso poderia custar-lhe a vida e seríeis um criminoso"
• "Mais vale estar entre os perseguidos que entre os perseguidores"
• "Não te metas em nenhum assunto do qual possa resultar condenado à morte ainda que culpado"
• "Ditoso o homem que sai deste mundo, limpo e sem pecado, como entrou"
• "Grande perigo é substituir Deus do coração por um coração de deus"

A carta do Apostolo Paulo aos Filipenses Cap. 3:.
1 Resta, irmãos meus, que vos regozijeis no Senhor. Não me aborreço de escrever-vos as mesmas coisas, e é segurança para vós.
2 Guardai-vos dos cães, guardai-vos dos maus obreiros, guardai-vos da circuncisão;
3 Porque a circuncisão somos nós, que servimos a Deus em espírito, e nos gloriamos em Jesus Cristo, e não confiamos na carne.
4 Ainda que também podia confiar na carne; se algum outro cuida que pode confiar na carne, ainda mais eu:
5 Circuncidado ao oitavo dia, da linhagem de Israel, da tribo de Benjamim, hebreu de hebreus; segundo a lei, fui fariseu;
6 Segundo o zelo, perseguidor da igreja, segundo a justiça que há na lei, irrepreensível.
7 Mas o que para mim era ganho reputei-o perda por Cristo.
8 E, na verdade, tenho também por perda todas as coisas, pela excelência do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor; pelo qual sofri a perda de todas estas coisas, e as considero como escória, para que possa ganhar a Cristo,
9 E seja achado nele, não tendo a minha justiça que vem da lei, mas a que vem pela fé em Cristo, a saber, a justiça que vem de Deus pela fé;
10 Para conhecê-lo, e à virtude da sua ressurreição, e à comunicação de suas aflições, sendo feito conforme à sua morte;
11 Para ver se de alguma maneira posso chegar à ressurreição dentre os mortos.
12 Não que já a tenha alcançado, ou que seja perfeito; mas prossigo para alcançar aquilo para o que fui também preso por Cristo Jesus.
13 Irmãos, quanto a mim, não julgo que o haja alcançado; mas uma coisa faço, e é que, esquecendo-me das coisas que atrás ficam, e avançando para as que estão diante de mim,
14 Prossigo para o alvo, pelo prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus.
15 Por isso todos quantos já somos perfeitos, sintamos isto mesmo; e, se sentis alguma coisa de outra maneira, também Deus vo-lo revelará.
16 Mas, naquilo a que já chegamos, andemos segundo a mesma regra, e sintamos o mesmo.
17 Sede também meus imitadores, irmãos, e tende cuidado, segundo o exemplo que tendes em nós, pelos que assim andam.
18 Porque muitos há, dos quais muitas vezes vos disse, e agora também digo, chorando, que são inimigos da cruz de Cristo,
19 Cujo fim é a perdição; cujo Deus é o ventre, e cuja glória é para confusão deles, que só pensam nas coisas terrenas.
20 Mas a nossa cidade está nos céus, de onde também esperamos o Salvador, o Senhor Jesus Cristo,
21 Que transformará o nosso corpo abatido, para ser conforme o seu corpo glorioso, segundo o seu eficaz poder de sujeitar também a si todas as coisas.

A oposição ferrenha ao Cristianismo rendeu-lhes através dos tempos uma figura de fanáticos e hipócritas que apenas manipulam as leis para seu interesse. Esse comportamento deu origem à ofensa "fariseu", comumente dado às pessoas dentro e fora do Cristianismo, que são “julgados” como religiosos aparentes.

O escritor Flavio Josefo nos informa que os Fariseus viviam moderados, evitando todo o luxo. Havia entre eles muitos indivíduos piedosos e de grande influência entre o povo. (At. 26:5)


Existiram alguns Fariseus de renome: Simão. Lc. 7:36, Nicodemos: Jo 3:1, Gamaliel: At. 5:34. Saulo de Tarso, depois Paulo o maior missionário do 2° Testamento, At. 23:6,
Mt. 7:1, Não julgueis, para que não sejais julgados. 2 Porque com o juízo com que julgardes sereis julgados, e com a medida com que tiverdes medido vos hão de medir a vós.
Lc. 6:37, Não julgueis, e não sereis julgados; não condeneis, e não sereis condenados; soltai, e soltar-vos-ão.
Jo. 7:24. Não julgueis segundo a aparência, mas julgai segundo a reta justiça.

Graça e Paz

Pr. Moabi Brito

quinta-feira, 11 de junho de 2009

A quem estamos seguindo?

Introdução
Hoje o Senhor me incomodou para escrever um pouco sobre a Igreja Dele e os seus propósitos e a igreja criada pelo Imperador Constantino.

Vamos fazer uma breve e simples comparação entre os ensinos da Bíblia em relação à Igreja de Cristo e a organização da Igreja Romana e o resumo de seus ensinos, para termos uma amostra das influências que estes ensinos nos trouxeram.

A nossa intenção não é atacar ninguém, mas somente mostrar as diferenças na eclesiologia e liturgia destas igrejas, como alguém que procura compreender um pouco da recente história do cristianismo.

As mudanças começaram a acontecer depois do ano 300 d.C., após a fundação da Igreja Católica pelo Imperador, que através de Concílios e Cartas Papais introduziu as modificações.

Os ensinos Bíblicos.
1. As festas Bíblicas. (Páscoa, Pentecostes, Trombetas, Tabernáculo,...)
2. Calendário Bíblico.(lunar)
3. A observação da lei.
4. Guardar o dia de sábado.
5. As línguas originais (Aramaico, Hebraico, Grego).
6. O Shymá como oração do fim do dia.
7. Yeshua o Sumo sacerdote.
8. A contribuição financeira como parte do culto.
9. O Sangue de Yeshua cura e perdoa.
10. O Sacrifício de Yeshua nos religa a Deus (Salvação).
11. Culto somente a Deus.
12. A Ceia simbólica em memória de Yeshua.
13. Templo sem imagem (culto pela fé).
14. Oração em nome de Yeshua.(transliterado: Jesus)
15. Discípulos de Yeshua.
16. Só Yeshua é perfeito.
17. Yeshua é Deus.
18. Dons do Espírito.
19. Proclamar o evangelho.
20. Ter a Bíblia como regra de fé e prática.
21. Oração pelos enfermos em nome de Yeshua.(Usando a fé)
22. Culto fúnebre.
23. Batismo por imersão.
24. Batismo de adultos.

A Igreja Romana:
1. Festas pagãs. (Ovo de Páscoa, Carnaval, Festas juninas, Cosme e Damião, Natal, entre outras).
2. Calendário Gregoriano.(Solar)
3. O livro “tradição” para substituir a Bíblia.
4. O culto ao deus “solaris”, no domingo.
5. O latin, como idioma nas missas.
6. A oração “Ave Maria”, no fim do dia.
7. O Papa sumo Sacertode.
8. Ajuda do Estado e esmolas.
9. Várias missas para pedir perdão.
10. Os 7 Sacramentos.
11. Culto as imagens e relíquias.
12. Na ceia o pão é o corpo e o vinho o sangue de Jesus.
13. Templos cheios de imagens.
14. Orações em nome da Trindade, Maria e Santos.
15. Discípulos de Maria ou Santos.
16. O Papa é perfeito.
17. Maria mãe de Deus.
18. Carismas.
19. Manter as tradições.
20. Praticar os ensinos do livro Tradição.
21. Água ungida para curar doente.
22. Missa pelos mortos.
23. Batismo por aspersão.
24. Batismo de crianças.

Reflexão
Se a sua igreja pratica algum dos ensinos católicos, ore a Deus e peça a Ele para abrir os olhos de seus lideres.

Hoje percebemos mudanças acontecendo na Igreja Católica, já existem igrejas sem imagens. E alguns católicos dizem que agora somos iguais nos seguidores e testemunhas de Yeshua e eles. Eles já cantam nossos louvores nas missas, que agora são faladas em português.
É só um começo? Aconteceram outras modificações? Quais? Só o ETERNO pode responder.

Perseguidos
Agradeçamos ao ETERNO, por tudo isto porque há algum tempo atrás nós fomos rejeitados pelos judeus por não sermos circuncidados, pelos católicos por não adorar as suas imagens, foi um tempo difícil. Se hoje anda estamos de pé é unicamente pela

Graça e Misericórdia de Deus, Senhor de tudo e todos que não nos rejeitou, antes nos chamou para fazer parte na mesa que será posta para os que forem arrebatados. Eu creio !!

O Quarto homem da fornalha nunca nos abandonou, Yeshua Há Mashia.

Oh Gloria a Ele Domínio e Majestade!!

Pedimos ao ETERNO que os abençoe em nome de Yeshua.

Conclusão
Nestes dias estamos vendo templos evangélicos cheios de bandeirinhas, comidas típicas, touro mecânico, fogueira santa, distribuição de ovos de pascoa, coelinhos, efeites natalinos, músicas não evagélicas nas festas de aniversário ou casamento, sabonete ungido, feijão ungido, paleto ungido,unção de cai (se não "cair" no culto esta em pecado), sai da sua igreja que fraca vem para minha que é forte, essas "doutrinas" são estranhas a Igreja de Cristo baseada na Palavra.

Eles acham estranho uma igreja falar em festas Bíblicas e tentar viver como a Bília ensina.

Realmente é estranho uma igreja que estuda e ensina a palavra, crê e prática os dons Espirituais, para este povo esta igreja é diferente.

Existe um Cristo para cada Igreja?

Só a pregação do evangelho não é mais suficiente para ganhar almas para Cristo? Mc. 16: 15-18.
A sacrifício da cruz saiu de validade? O Sacrificio é Eterno, sempre será válido!!

E existem aqueles que estão orando por um copo d’água para que seja curado na oração usando o texto de Evangelho de Jesus Segundo João Cap. 4, a partir do verso 9.
“9 Disse-lhe, pois, a mulher samaritana: Como, sendo tu judeu, me pedes de beber a mim, que sou mulher samaritana? (porque os judeus não se comunicam com os samaritanos).
10 Jesus respondeu, e disse-lhe: Se tu conheceras o dom de Deus, e quem é o que te diz: Dá-me de beber, tu lhe pedirias, e ele te daria água viva.
11 Disse-lhe a mulher: Senhor, tu não tens com que a tirar, e o poço é fundo; onde, pois, tens a água viva?
12 És tu maior do que o nosso pai Jacó, que nos deu o poço, bebendo ele próprio dele, e os seus filhos, e o seu gado?
13 Jesus respondeu, e disse-lhe: Qualquer que beber desta água tornará a ter sede;
14 Mas aquele que beber da água que eu lhe der nunca terá sede, porque a água que eu lhe der se fará nele uma fonte de água que salte para a vida eterna.
15 Disse-lhe a mulher: SENHOR, dá-me dessa água, para que não mais tenha sede, e não venha aqui tirá-la”.

Há pouco tempo foi visitar uma pessoa e ao chegar na sala da casa vi um aparelho de TV rodeado de garrafas de água de vários tamanhos e formas, perguntei para que isto? quando pastor da TV orar a água será ungida para distribuir com os vizinhos e parentes. Meu Deus, ela veio do catolicismo.

Usam este texto para que as pessoas possam alcançar a cura. Mas se é pela fé porque o copo d’água? Não podemos esquecer que a água que bebemos após a oração do pastor da mídia é igual à água que a mulher tirava do poço, mas a água que Senhor oferece é a Salvação, a presença do Espírito Santo dentro do coração dos que crêem Nele como Salvador.Hb. 11:1 ORA, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que se não vêem.II Cro. 20:20


Será que não seria a hora de voltarmos à raiz do evangelho, falando de Cristo pela fé, sem nenhum tipo de artifício pára “ajudar” ao Santo Espírito, como o Apóstolo Paulo recomendou a Timoteo nunca esqueçer a "Sã Doutrina" (a lei e os profetas).

Senhor? Estamos voltando ao catolicismo ou aos cultos afro, porque eles também fazem esta prática. O povo que saiu do Egito com Moisés, fez o bezerro de ouro talvez porque passaram cerca de 430 anos vendo os egípcios adorando a vacas. Penso que todas as vezes que estamos assistindo a "novela das vacas" estamos em adoração a elas ou a demônios.

Temos nas igrejas de Cristo muitas práticas que lembram outros cultos: Reunião de Descarrego, Sal Grosso, Galho de arruda, meu Deus!

Onde está o culto de adoração ao altíssimo?

Seria isto sincretismo, que é a mistura de cultos e crenças, o Evangelho de Cristo necessita de muletas de crenças pagãs?
Será que o lado católico ainda não esta bem trabalhado?
Ou talvez não tenham esquecido a "catequese" que alguns foram submetidos?

A Bíblia não foi escrita orinalmente em "Latin", mas Aramaico, Hebraico, Grego, então porque a igreja deve aprender Latin?.

Como agora já passa das 20h vou encerando a minha pequena escrita com o Shymá.
Esclarecimento: orar o Shymá às 18h é uma tradição judaica, nos que somos filhos pré destinados e adotados como filhos de Deus através do sacrifício de Yeshua, porque o único povo predestinado desde fundação do mundo é o povo Hebreu, não temos a obrigação de praticar o Shymá é uma questão de escolha acredito eu.

Na esperança de estar de alguma forma contribuindo para o esclarecimento do povo de Deus, ficamos por aqui hoje.

Obs: Tudo que aqui foi escrito é facilmente encontrado na Internet ou em livros, não é de nosso exclusivo conhecimento.

Shymá
“Ouve ó igreja o Senhor teu Deus é o único Senhor”. Det. 6:4.

Graça e Paz,

Pr. Moabi Brito

quarta-feira, 10 de junho de 2009

Adoração

Introdução:

Escrever sobre adoração parece fácil no primeiro momento, mas à medida que se vai escrevendo percebemos que ainda ficou muito para se dizer, porque adoração inclui culto a Deus e o Senhor é infinito.

Comparando a liturgia da igreja do 1° Testamento com a igreja do século XXI vemos um povo que vai ao templo, mas na maioria das ocasiões não vai para adorar nos moldes do 1° testamento é fácil perceber essas diferenças.

O povo que adorava ao ETERNO cuidava de cada detalhe com o máximo de carinho porque iam adorar ao criador, ao Deus de Abraão, Isaque e Jacó, havia temor e respeito.

Será que continuamos indo ao templo com a mesma preocupação?

Vemos hoje alguns grupos que nos passam a idéia que estão adorando isto é muito bom, e nos levam a entrar no clima da adoração.

Nós hoje somos levados a adorar ao Senhor?

Entendendo a Adoração

A adoração tem prioridade na Bíblia.
• Jesus falou ao Senhor teu Deus adorarás. Mt. 4:10.

Adoração não é:
Música. O coração em comunhão determina se a canção é adoração – não o estilo de música.

Gostaria de refletir com você se hoje nos estamos adorando ao ETERNO.
Tenho ouvido muito se falar que nós não devemos ter compromisso com a igreja humana, horizontal, física. Não consigo ver na Bíblia respaldo ou base para isto. (Ef.3:15). Se só existe uma igreja?

• No AT as pessoas se deslocavam para Jerusalém para adorarem a Deus, somente adorar, porque era lá que o Senhor os “mandou” adorar.

Adoração é:
• Porque nós fomos criados para adorar ao Senhor.
• Render somente a Deus, graças.
• Nós o adoramos “pelo que Ele é”, e não por aquilo que Ele fez, ou vai fazer.
• Nós o adoramos porque somos adoradores.
• A Adoração é pessoal e individual.

“Hoje estamos sendo ensinados que podemos mudar de congregação ou igreja a hora que bem quisermos, porque Deus esta em todo lugar, isto tem base Bíblica? O povo do Antigo Testamento só podia adorar no templo em Jerusalém”.

Penso que com esta teologia ou pensamento estamos criando pessoas orgulhosas, se sentindo no “poder” de escolher o local, doutrina, ministério, ou o lugar de adorar Senhor, e se eles estiverem sendo enganados?

Muitos pastores estão passando dificuldades para doutrinar ou ensinar o povo, porque se ele não conseguir "agradar" aquele irmão ou irmã, eles vão sair da igreja ou mudar de igreja, e conseqüentemente continuar no mesmo erro, ou sem doutrina.

Lembro do meu professor de filosofia que dizia: “... fico pensando na vida dos pastores e padres, que passam a sua vida tentando ensinar as pessoas a serem melhor... mas qualquer mudança só vai acontecer depois de meio século de ensino de uma doutrina...”.

Se o professor estiver certo o que a igreja hoje ensina vai levar 50 anos para ser aceito como verdade pelas pessoas, eu já tenho 55 (hi,hi,hi), mas não pretendo parar de dizer o que esta biblicamente errado.

Isto talvez aconteça porque as lideranças não perdem um pouco de tempo para ligar para o antigo pastor e saber dele o que aconteceu com aquela pessoa. Acredito que isto mudaria muita coisa.

Como fazer parte do corpo de Cristo se não posso comungar com você?

Hoje muitos pastores e ministérios estão sendo difamados, por pessoas orgulhosas que não querem ouvir, “isto esta errado”, e deve se concertado. Eles dizem o pastor esta errado.

Será que hoje devido às novas correntes teológicas as pessoas estão sendo levadas a adorar a Deus, com humildade, coração contrito e espírito transformado?
• “...Amarás ao senhor teu Deus, ...Mt. 22:26-38.

Outro dia ouvi de um pastor da mídia dizer que tem crente que ameaça o pastor com seu dízimo: "se me causar dificuldades paro de dizimar"? Dízimo é para isto? Pensei que era mandamento baseado no amor a Deus e não objeto de negociação. Mq. 3:10.

Esses crentes fazem o que querem na igreja de Cristo e não podem ser doutrinados ou confrontados se não trocam de igreja? Isto é Biblico? Mt. 7:26.

Meu Deus e no arrebatamento como isto vai se resolver? Qual pastor vai prestar contas a Deus pela caminhada Cristã deste irmão ou irmã se não sabe de sua vida? Lc. 11; 28. Ap. 3:7-11.

• Louvor. Louvor não é sacrifício de fé. A Adoração é baseada no amor a Deus.

Conclusão é fácil reconhecer um adorador:
1. Ele esta com a sua Bíblia.
2. A sua vestimenta mostra a sua fé.
3. Ele ora a Deus assim que entra no local de culto.
4. Ele esta pronto a receber.
5. Ele traz a sua oferta de amor e seu dízimo.
6. Ele não perde uma ceia do Senhor na Igreja.
7. Ele esta pronto para servir.

O povo de Israel errou muitas vezes com o Senhor, mas todas as vezes que reconheceu o erro Deus o perdou e os abençou será que hoje não acontece do mesmo jeito, quando erramos devemos pedir perdão a Deus, reconhecer que falhamos para sermos perdoados?

A oração de Neemias
"E disse: Ah! SENHOR Deus dos céus, Deus grande e terrível! Que guarda a aliança e a benignidade para com aqueles que o amam e guardam os seus mandamentos;
Estejam, pois, atentos os teus ouvidos e os teus olhos abertos, para ouvires a oração do teu servo, que eu hoje faço perante ti, dia e noite, pelos filhos de Israel, teus servos; e faço confissão pelos pecados dos filhos de Israel, que temos cometido contra ti; também eu e a casa de meu pai temos pecado.
De todo nos corrompemos contra ti, e não guardamos os mandamentos, nem os estatutos, nem os juízos, que ordenaste a Moisés, teu servo.
Lembra-te, pois, da palavra que ordenaste a Moisés, teu servo, dizendo: Vós transgredireis, e eu vos espalharei entre os povos.
E vós vos convertereis a mim, e guardareis os meus mandamentos, e os cumprireis; então, ainda que os vossos rejeitados estejam na extremidade do céu, de lá os ajuntarei e os trarei ao lugar que tenho escolhido para ali fazer habitar o meu nome.
Eles são teus servos e o teu povo que resgataste com a tua grande força e com a tua forte mão.
Ah! Senhor, estejam, pois, atentos os teus ouvidos à oração do teu servo, e à oração dos teus servos que desejam temer o teu nome; e faze prosperar hoje o teu servo, e dá-lhe graça perante este homem. Então era eu copeiro do rei".
Ne.1;5-11.

Faço da oração de Neemias a minha oração hoje!!

Você é um Adorador?

Graça e Paz

Pr. Moabi Brito

Obrigado Senhor por mais esta benção

Mas um ano se passou, graças ao ETERNO, que com seu amor e misericórdia nos põe de pé a cada dia.

Não podia deixar de agradecer aos amados que vieram nos alegrar com a sua presença, carinho e palavras de incentivo.

E com este sentimento que escrevo estas poucas linhas a todos os meus colegas de ministério, alunos, ex-alunos amigos e irmãos que se dispuseram a estar conosco este dia ou lembrar esta data, por um e-mail, Scrap ou telefonema.

Nós que servimos ao evangelho como sacerdócio nos alegramos quando somos reconhecidos e lembrados, pelos nossos irmãos.

Costumo dizer que nos dias em que vivemos é muito comum as pessoas não terem tempo para lembranças de antigos amigos, colegas ou irmãos. A vida anda muito corrida, às vezes não temos tempo para coisas que antes valorizávamos e agora substituímos por qualquer outra atividade.

O mundo que nos tornar egoístas e egocêntricos.

Ir a uma festa, se relacionar com pessoas é sem dúvida uma atividade que esta se tornando meio fora de moda, eu louvo a Deus pela vida daqueles que continuam valorizando as pessoas por que Deus se relaciona conosco o tempo todo.

Mas o povo de Deus que vive a palavra não vive o que mundo dita mais vive a comunhão e o amor entre os irmãos (Sl. 133).

Os núcleos do STEE:
Na IPS Matriz, na Igreja Jesus é o Caminho, na IPS Stª Izabel, na igreja IPS de Campos, que fizeram comemoração com lembrança, foi uma benção!! A IPS em Sapê de Itaboraí pela lembrança, muito obrigado!

A igreja Primitiva do Maceió, muito obrigado!!

No ultimo dia 28 de maio completamos 55 anos pela misericórdia de Deus.

Aos todos, irmãos e irmãs muito obrigado!

quarta-feira, 3 de junho de 2009

46° CONGRESSO DA IGREJA PRIMITIVA DO SENHOR

Aprouve ao ETERNO, nos agraciar neste sábado dia 30 de maio.

Escrever sobre tudo que aconteceu por estes dias é realmente uma tarefa única. Em vários sentidos primeiro pela emoção de revivermos tudo que ali aconteceu. Depois pela alegria e o sentimento do dever cumprido.

As lutas foram muitas, mas o Senhor nos deu vitória em todas.
Cada caravana que chegava era mais um motivo de alegria, conseguimos 90% de participação de nossas Igrejas.

A chegada da caravana de Campos dos Goytacazes, com o Pr. Antônio e os amados irmãos que a muito não conseguiam vir ao Congresso anual foi uma benção.

O evento foi além das nossas expectativas.
O trabalho com certeza foi intenso, mas nos sentimos gratificados pelo resultado.

Alvos que conseguimos alcançar:
• Reunir o máximo de irmãos de nossas congregações.
• Promover a união entre os irmãos.
• O reconhecimento do trabalho de nossos pastores.
• Unir nossa juventude.
• Unir nossas irmãs.
• Unir nossos irmãos.
• Trazer novos crentes para o Senhor.
• Mostrar o trabalho de nossas congregações.

As caravanas que estiveram:
• Santa Rosa - Campos dos Goytacases.
• Parada Amaral – Itaboraí.
• Vila Nova de Itambi – Itaboraí.
• Bela Vista – Itaboraí.
• Cabuçu – Itaboraí.
• Cassorotiba – Marica.
• Stª Izabel – São Gonçalo.
• Galo Branco – São Gonçalo.
• Manilha – São Gonçalo.
• Matriz – Niterói.
• Maceió – Niterói.
• Sape – Itaboraí.

Agradecemos a todos que oraram pelo evento, nosso muito obrigado.
Agradecemos também aos amados de outras congregações que estiveram prestigiando o nosso trabalho, nosso obrigado.
Agradecemos a todos os obreiros que trabalharam para que o evento pudesse acontecer.
Muito obrigado Senhor por todas as bênçãos que nos concedeu estes dias.

Nova TV ADORAÇÃO

CONGRESSO DA JUVENTUDE

CONGRESSO DA JUVENTUDE

Saudação

Sejam bem vindos ao nosso ponto de encontro.

Nestes dias temos lido e ouvido muitas versões ou entendimentos das verdades biblicas, mas há que se dizer que sempre houve e haverá opiniões diferentes devido a vários fatores que permeiam a nossa vida cotidiana.

A nossa intenção aqui, é apenas expressar o nosso endendimento pensando estar de alguma forma contribuindo na construção do pensamento teológico cristão brasileiro atual.


Nosso e-mail: igrejaprimitivamaceio@yahoo.com.br

Seminário Teológico El Elyon

As inscrições para o STEE já estão abertas.
Faça logo a sua matricula!!
Onde se inscrever:
R. Demetrio de Freitas, 98 - Maceó - IPS - Cep: 24.310-100
Por e-mail:
moabibrito@yahoo.com.br
prmoabilins@hotmail.com





Como os outros te vêem

Resultado: 39 pontos

Os outros te vêem como alguém sensível, cauteloso, prático e cuidadoso. Te vêem como inteligente, talentoso, mas modesto. Não uma pessoa que faz amigos muito rápido e fácil, mas alguém extremamente leal aos amigos que você faz e que espera a mesma lealdade deles. Aqueles que realmente te conhecem percebem que é difícil abalar sua confiança em amigos, mas também leva um bom tempo para recuperá-la se esta confiança se acaba.

Teste de Personalidade

Oferecimento: InterNey.Net

Livros Recomendados

Como Deus Cura a Dor. Mark W. Backer - Ed. Sextante. 2008.
Respostas Evangélicas à Religiosidade Brasileira. Ed. Vida Nova. 2004.
Sabedoria Pastoral. David W. Wong. Ed. Descoberta. 1999
Guia Básico para a Interpretação da Bíblia. Robert H. Stein - Casa Publicadora das Assembleias de Deus. 1935
A Igreja no Império Romano. Martin N. Dreher. Ed. Sinodal. São Leopoldo, RS. 1993.
Vozes do Cristianismo Primitivo. E.Glenn Hinson & Paulo Siepierski. Ed. Temática Publicações, SP.
Sem Medo de Viver. Max Lucado. Ed. Thomas Nelson Brasil. RJ.2009.
A Palavra de Deus e A palavra do homem. Karl Barth. Ed. Novo Século. São Paulo. 2004.
A(s) Ciência(S) da Religião no Brasil. Faustino Teixeira. Ed. Paulinas. São Paulo. 2001.
Plano Mestre de Evangelismo. Robert Coleman. Ed. Mundo Cristão. São Paulo. 2006.
Direito & Psicanálise. Chaia Ramos. Ed. Atos & Fatos. Rio de Janeiro. 2001.
De Pastor para Pastores. Um testemunho pessoal. Irland Pereira Azevedo - Rio de Janeiro -Ed. JUERP. 2001


Postagens populares

Meu saudoso pai

Meu saudoso pai
Fundador da IPS

Escrita na parede

O destino da humanidade

A Previsão do Tempo

Blog Amigo

MOMENTO DA PALAVRA

MOMENTO DA PALAVRA

Teste os Seus Conhecimentos Biblicos

Resultado: 9 pontos

Parabéns! Você possui um bom conhecimento da Bíblia, pode se considerar um 'expert' em textos sagrados.

Teste Seus Conhecimentos Bíblicos.

Oferecimento: InterNey.Net

Adicione este site aos seus favoritos

Obrigado pela sua visita desde 2007